Greve geral: veja situação de transportes e outros serviços em SP

O metrô funciona parcialmente e ônibus municipais operam normalmente; confira os protestos na capital paulista

Por: Redação Comunicar erro
assembleia dos metroviários aprova greve
Crédito: @paulo.iannone / SindicatoEm assembleia nesta quinta, metroviários confirmaram adesão à greve geral

Nesta sexta-feira, 14 de junho, acontece uma greve geral convocada por sindicatos contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro. Estão marcadas manifestações na capital paulista e em outras cidades pelo país.

A paralisação do transporte público, aprovada em assembleias, não afeta todos os serviços. O trânsito na cidade está acima da média: por volta das 12h30, eram 67 km de congestionamento, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Com informações do G1.

Veja abaixo como está a situação do transporte nesta sexta:

Metrô

O Metrô de São Paulo informou que a Linha 15-Prata está paralisada. Já as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha funcionam parcialmente. Privatizadas, as linhas 4-Amarela e 5-Lilás funcionam normalmente.

Trechos em operação (atualização às 11h23):

Linha 1-Azul: Saúde até Luz
Linha 2-Verde: Vila Madalena até Alto do Ipiranga
Linha 3-Vermelha: Marechal Deodoro até Penha
Linha 15-Prata: operação paralisada
Linhas 4-Amarela e 5-Lilás: operação normal

Em comunicado, o Metrô declarou que não concorda com a decisão de paralisação anunciada pelo Sindicato dos Metroviários e está tomando todas as medidas para minimizar o impacto para os mais de 5 milhões de passageiros diários. Segundo a nota, um plano de contingência será colocado em prática conforme os metroviários se apresentarem para trabalhar.

CPTM

O site da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que todas as linhas operavam normalmente.

Ônibus

Por volta das 11h, a SPTrans informou que o sistema municipal de transporte público coletivo opera com 100% das 1.207 linhas previstas para esta faixa horária, com 100% da frota de veículos em operação. Nenhuma operadora tem interrupção na saída da frota.

Linhas intermunicipais da EMTU

Na região metropolitana, a EMTU informou que, por volta das 11h, a operação na Grande São Paulo está normalizada, à exceção da região de Guarulhos, onde as empresas Arujá, Atual, Guarulhos Transportes, Real, Transdutra e Vila Galvão permanecem paralisadas.

Na região metropolitana, a EMTU disse que, por volta das 11h, a operação na Grande São Paulo está normalizada, à exceção da região de Guarulhos, onde as empresas Arujá, Atual, Guarulhos Transportes, Real, Transdutra e Vila Galvão permanecem paralisadas.

Rodízio

Após ter anunciado a suspensão do rodízio de veículo para esta sexta, a Prefeitura de São Paulo voltou atrás. Desta forma, os veículos com placas finais 9 e 0 não poderão circular no centro expandido de São Paulo nos períodos de 7h às 10h e das 17h às 20h desta sexta.

Escolas

O sindicato que representa os professores da rede municipal de São Paulo aderiu à greve desta sexta-feira.

A Secretaria da Educação do Estado orientou que todas as escolas estaduais permaneçam abertas e com aulas. Se algum profissional faltar, o superior imediato irá analisar a justificativa apresentada, seguindo a legislação.

Bancos

As agências de bancos públicos e privados não devem abrir às 10h, de acordo com o sindicato da categoria, pois trabalhadores de São Paulo, Osasco e região decidiram aderir à paralisação.

Aeroportos

A operação nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos está funcionando normal.

Manifestações

Um protesto está marcado para ocorrer nesta sexta a partir das 16h na Avenida Paulista, em frente ao MASP.

Mas, desde o início da manhã, manifestantes já estavam nas ruas. Na Avenida dos Estados, no sentido do ABC paulista à capital, um grupo ateou fogo em pneus na altura da Avenida Antonio Cardoso, em Santo André.

Na USP, um grupo de manifestantes ocupava, por volta das 6h40, a Rua Alvarenga e a Avenida Afrânio Peixoto, em frente à portaria principal da Cidade Universitária. O bloqueio das vias é total.

Na Avenida 23 de Maio, altura do viaduto da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, manifestantes colocaram fogo em pneus nos dois sentidos da via. As chamas foram apagadas pelos bombeiros por volta das 8h e a via foi liberada por volta das 8h30.

Movimentos Sociais fecham a Av 23 de maio em São Paulo em apoio a greve geral. Fotos: Lucas Martins / Jornalistas Livres e Guilherme Gandolfi @Guifrodu / Mídia NINJA#GreveGeral14J

Publicado por Mídia Ninja em Sexta-feira, 14 de junho de 2019

1
03:39
Bolsonaro nega envolvimento no caso das candidaturas laranjas do PSL
Durante um de seus encontros recentes com a imprensa, o presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer que não tem nenhuma …
2
02:55
STF quer verificar a veracidade dos diálogos entre procuradores e Moro
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, quer verificar a autenticidade das conversas trocadas entre procuradores da Lava …
3
05:39
Por que o STF e a Operação Lava Jato estão em clima de guerra?
A tensão existente entre a Operação Lava Jato e o Supremo Tribunal Federal (STF) não é nenhuma novidade. O problema …
4
03:56
A verdadeira face de Ysani Kalapalo
A presença da jovem indígena Ysani Kalapalo na comitiva do presidente Jair Bolsonaro à ONU, na semana passada, ainda causa …
5
06:40
Trump pode sofrer impeachment?
A abertura de um processo de impeachment contra o presidente norte-americano, Donald Trump, se tornou um dos assuntos mais comentados …
6
15:16
ONU: Bolsonaro elege socialismo, mídia e países europeus como alvos
O presidente Jair Bolsonaro fez, nesta terça-feira, dia 24, seu primeiro discurso na Assembleia Geral da ONU (Organizações das Nações …
7
11:28
Bolsonaro: Brasil é ‘um dos países que mais protegem o meio ambiente’
O presidente Jair Bolsonaro fez, nesta terça-feira, seu primeiro discurso na Assembleia Geral da ONU (Organizações das Nações Unidas). O …
8
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …