Homem é acusado de abusos sexuais em rituais com ayahuasca

Ritual de igreja de "umbandaime", em São Paulo, mescla rituais de umbanda e Daime, com ingestão de ayahuasca antes da incorporação de entidades

Por: Redação | Comunicar erro

A polícia de São Paulo investiga mais um líder religioso acusado de abusos sexuais. Três mulheres denunciaram Antônio Alves Marques Júnior, conhecido como Gê Marques, de 62 anos, ao Ministério Público de São Paulo. Ele é líder espiritual e dirigente da igreja Reino do Sol.

Os primeiros depoimentos foram feitos em 2016. Segundo reportagem da BBC, o Ministério Público pediu a abertura de um inquérito, que foi instaurado no 14º DP da capital, em 2017, e está sob sigilo.

Crédito: iStock/leminuitMulheres que frequentavam igreja de umbanda com Daime dizem que líder espiritual cometia abusos sexuais; ele nega

A cerimônia da igreja Reino do Sol – hoje com sede em Mairiporã (SP) – é chamada de “umbandaime”, uma mistura de umbanda e Daime. Os adeptos ingerem ayahuasca antes de incorporação de entidades.

Os supostos crimes teriam ocorrido entre 2005 e 2015, ainda segundo a BBC, em diferentes lugares: na sede da igreja, na casa do líder religioso e em motéis para onde algumas mulheres que faziam parte de rituais religiosos relataram ter sido levadas sem aviso prévio.

A BBC News Brasil entrevistou 11 mulheres, incluindo as três que depuseram ao Ministério Público, e recebeu relatos escritos de mais quatro. Clique aqui para ler a reportagem completa.

Compartilhe: