Irmã de Marielle relata agressão por apoiadores de Bolsonaro

"Hoje eu tive medo! Medo mesmo", escreveu Anielle Franco

Por: Redação | Comunicar erro
Marielle e Anielle Franco
Crédito: Reprodução / FacebookMarielle e sua irmã, Anielle Franco

A irmã da vereadora Marielle Franco, Anielle Franco, relatou nesta segunda-feira, 9, ter sido vítima de agressão verbal no Rio de Janeiro por homens que usavam camisetas do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), adversário de Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições.

Nas redes sociais, Anielle relatou que andava na rua com a filha de dois anos no colo quando foi reconhecida pelo grupo, que fez ofensas relacionadas a suas posições políticas. A irmã da vereadora, assassinada em março deste ano, ficou conhecida ao virar porta-voz da família sobre a morte de Marielle.

“Hoje, com minha filha de dois anos no colo, andando na rua, próximo a um shopping, sem nenhum adesivo, nenhum broche, nenhuma camisa, nenhuma bandeira recebi gritos na minha cara. Repito: Gritos na minha cara – e consequentemente na dela (que ficou assustada claro). Gritos de que eu era ‘da esquerda de merda’, ‘Sai dai feminista’, ‘Bolsonaro… Piranhaaa” de homens devidamente uniformizados com a camisa do tal candidato'”, escreveu.

“Hoje eu tive medo! Medo mesmo. Não deveria, mas tive. Foi assustador. Ainda mais com minha filha no colo. Eu sozinha teria sido outra história (quem me conhece sabe)!”, completa Anielle.

O assassinato de Marielle Franco segue sem respostas. De acordo com a Divisão de Homicídios do Rio, o principal suspeito é o miliciano Orlando de Curicica. Ele declarou, em depoimento, que a vereadora e o motorista Anderson Gomes foram mortos pelo “escritório do crime”, um grupo de matadores de aluguel formado por policiais militares e ex-policiais.

Veja o relato na íntegra:

“Medo!!!!

Desde o dia 14 de Março eu assumi um outro lugar de fala. Lugar esse que me foi imposto. Eu preferia ela viva do que ter que passar e aturar o que tô passando. Digo isso de pessoas até fatos!

Comecei a falar pela família da vereadora morta/assassinada cruelmente, e com isso algumas pessoas passaram a me reconhecer na rua.

Uns reconhecem pra dizer apenas meus sentimentos.. outros.. isso

Hoje, com minha filha de dois anos no colo, andando na rua, próximo a um shopping, sem nenhum adesivo, nenhum broche, nenhuma camisa, nenhuma bandeira (era só eu e Mariah, ela com roupa de creche e eu com roupa de trabalho) recebi gritos na minha cara – Repito: Gritos na minha cara – e consequentemente na dela (que ficou assustada claro) Gritos de que eu era “da esquerda de merda” “Sai dai feminista” “Bolsonaro… Piranhaaa” de homens devidamente uniformizados com a camisa do tal candidato.

Hoje eu tive medo! Medo mesmo. Não deveria, mas tive. Foi assustador. Ainda mais com minha filha no colo. Eu sozinha teria sido outra história (quem me conhece sabe)!

Bom, não estou escrevendo pra que ninguém tenha pena. Mas para que repensem a sua maneira de fazer política. Por conta de um antipetismo vcs preferem propagar o ódio e a violência?! O seu candidato, em suma, defende esse tipo de postura, e outras coisa bem piores! Pensem bem!

Por fim..Seguimos na luta! Por aqui vai ter luta sim! Hoje e sempre. Na verdade sempre teve. Nossa luta vem de muito antes disso tudo. Essa luta não acaba dia 27. Nem hj, nem ano que vem, nem muito menos em 2020. Ela vai muito além. Ela se intensifica. Ela vira pública. Ela ganha força, apoio e forma!

É só pararem de nos matar!!!!!”

Medo!!!!Desde o dia 14 de Março eu assumi um outro lugar de fala. Lugar esse que me foi imposto. Eu preferia ela viva…

Posted by Anielle Franco on Monday, October 8, 2018

Acompanhe outros conteúdos ligados às eleições deste ano nesta página especial

1 / 8
1
06:43
Após ser acusado de comunista, Dimenstein cobra provas de Hasselmann
A deputada federal Joice Hasselmann perdeu a calma nas redes sociais ao atacar o jornalista Gilberto Dimenstein, acusando-o de militante …
2
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
3
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
4
03:43
O estrago de Frota é maior que o Bolsonaro poderia acreditar
Após ser expulso do PSL, o deputado federal Alexandre Frota confirmou sua filiação ao PSDB, partido de João Doria, governador …
5
03:03
Câmara aprova projeto de lei sobre abuso de autoridade
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que define quais situações configuram abuso de autoridade. Agora, o texto …
6
04:07
Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Bolsonaro
Depois de dizer a um repórter que ele deveria fazer cocô dia sim, dia não para preservar o meio ambiente, …
7
03:26
Mortes provocadas pelo fim dos radares deveriam ter nome de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta quinta-feira, 15, a suspensão dos radares de fiscalização de velocidade móveis em rodovias federais …
8
04:56
‘Risk’, na Netflix, vaza a imagem não autorizada de Julian Assange
Será que, em um ato de coragem, você arriscaria sua própria liberdade para trazer à tona realidades que manipulam a …