Jovem é morta a facadas pelo ex por causa de um emprego

Ela trabalhava como operadora de caixa e foi assassinada na frente de casa

Por: Redação

Miranda de Almeida, de 20 anos, foi esfaqueada até a morte pelo ex-namorado, de 26, por ela ter conseguido um trabalho em um supermercado, em Santana (AP). O serviço causou ciúme, e o namoro de dois anos terminou há menos de um mês.

Câmeras de segurança da rua mostram o homem esperando a jovem voltar do trabalho e, depois de uma breve discussão, desferir pelo menos quatro facadas no pescoço da vítima, que tentou se defender.

feminicídio
Crédito: Welcomia/iStockPolícia investiga caso como feminicídio

Segundo a polícia, ela recebia ameaças frequentes pelo celular. O crime é tratado como feminicídio.

Raiane tinha uma filha de três anos, fruto de outro relacionamento. Ele foi preso no sábado, 1º, em Macapá.

Feminicídio

Feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher em decorrência do fato de ela ser mulher ou em decorrência de violência doméstica.

Quando o assassinato de uma mulher é decorrente, por exemplo, de latrocínio (roubo seguido de morte) ou de uma briga entre desconhecidos ou é praticado por outra mulher, não há a configuração de feminicídio.

A lei 13.104/15, mais conhecida como Lei do Feminicídio, alterou o Código Penal brasileiro, incluindo como qualificador do crime de homicídio o feminicídio.

Violência contra a mulher

O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante. O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.