CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Loja carioca é denunciada por racismo, gordofobia e assédio moral

A grife Loja Três existe há seis anos e tem sede no Rio de Janeiro

Por: Redação
modelos da loja três
Crédito: Reprodução / Instagram Loja Três recebeu uma enxurrada de críticas nas redes sociais

Racismo, gordofobia, homofobia e assédio moral: funcionários da marca carioca Loja Três fizeram uma série de acusações contra a empresa, divulgadas em reportagem da jornalista Mariana Gonzalez, do portal Universa, nesta segunda-feira, 20. Dos 11 relatos divulgados, entre funcionários e ex-funcionários, cinco foram feitos por mulheres negras e apenas um por homem.

A grife de roupas e acessórios existe há seis anos e tem sede no Rio de Janeiro, onde estão localizados o escritório, a fábrica e duas lojas. Também há mais dois pontos de venda em São Paulo. A loja é de Guta Bion, sócia dos filhos: a estilista Fernanda Bion e o economista Francisco Bion. Os três donos estariam envolvidos com os casos relatados.

As denúncias foram feitas por pessoas que exerceram diferentes funções, como gerente, vendedora e modelista. Em um dos casos, uma ex-gerente de uma loja em São Paulo contou que foi pressionada pela dona da empresa para pedir a uma funcionária negra que parasse de usar tranças. A situação de racismo fez com que a vítima pedisse demissão.

Além dos casos de preconceito, funcionários afirmaram que foram privados de água, papel higiênico e açúcar, ou até mesmo de usar o telefone celular. Algumas das denúncias chegaram, de forma anônima, ao Ministério Público do Trabalho (MPT) do Rio de Janeiro e deram origem a dois inquéritos. Veja aqui a reportagem na íntegra.

Após a repercussão, a marca fez um post no Instagram e lamentou o ocorrido. Segundo a Três, as acusações “não retratam a realidade do nosso dia a dia”. O texto recebeu uma enxurrada de críticas nos comentários.

“A maior parte das denúncias que lemos na matéria são anônimas e dizem respeito a fatos que desconhecemos, o que dificulta a sua necessária apuração e o importante diálogo com as pessoas envolvidas. Nosso apreço pela diversidade nunca foi de fachada, como agora nos acusam. Vale esclarecer que as alegações não foram oficializadas pelo Ministério Público e tampouco recebemos qualquer prova dos graves fatos veiculados. De todo modo, a Loja Três não se furtará em apurar todas as denúncias, com apoio, inclusive, de uma empresa de compliance para condução do processo com isenção, transparência e rigor. A principal acusada já se afastou voluntariamente de suas atividades na empresa enquanto todos os fatos estiverem sendo apurados”, declarou no post.

Veja o post:

View this post on Instagram

Hoje acordamos com uma notícia que nos deixou muito tristes. Por tudo que construímos até aqui, por valorizarmos tanto as 154 pessoas que trabalham com a 3 e por acusações que sabemos que não retratam a realidade do nosso dia a dia. Entendemos também que tudo na vida é aprendizado e estamos aqui, abertos, pra esclarecer qualquer ponto sobre o nosso processo de trabalho. Sempre valorizamos as pessoas que estão por trás da marca, vocês sabem disso. Também valorizamos essa relação de transparência com vocês, nossos clientes, e com nossos colaboradores. É nisso que acreditamos e, por isso, colhemos tantos frutos positivos até hoje. Ninguém cresce sozinho nem do nada. A construção de uma marca é um desafio muito grande. Só quem vive na pele sabe. E lá se vão 6 anos desde que, juntos, nascemos e construímos tanta coisa. Tivemos momentos difíceis nessa trajetória, mas também muitas alegrias. Todas as nossas conquistas se devem aos nossos clientes, equipe e a tantos colaboradores e fornecedores que se orgulham de trabalhar conosco. Buscamos sempre proporcionar um ambiente inspirador, humano e, principalmente, que respeite a individualidade de cada um. Não é à toa que criamos tantas relações incríveis aqui dentro. A maior parte das denúncias que lemos na matéria são anônimas e dizem respeito a fatos que desconhecemos, o que dificulta a sua necessária apuração e o importante diálogo com as pessoas envolvidas. Nosso apreço pela diversidade nunca foi de fachada, como agora nos acusam. Vale esclarecer que as alegações não foram oficializadas pelo Ministério Público e tampouco recebemos qualquer prova dos graves fatos veiculados. De todo modo, a Loja Três não se furtará em apurar todas as denúncias, com apoio, inclusive, de uma empresa de compliance para condução do processo com isenção, transparência e rigor. A principal acusada já se afastou voluntariamente de suas atividades na empresa enquanto todos os fatos estiverem sendo apurados.

A post shared by Loja Três (@lojatres) on

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.