Manchas de óleo chegam ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos

Região é berçário de baleias jubarte e tem a maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul

Por: Redação

A Marinha divulgou neste sábado, 2, que pequenos fragmentos de óleo foram encontrados e recolhidos no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, no sul da Bahia, região com o maior banco de corais e a maior biodiversidade marinha do Brasil e do Atlântico Sul.

Segundo a Marinha, os fragmentos foram retirados do mar próximo à Ilha de Santa Bárbara, uma das cinco que compõe o arquipélago. Outros fragmentos de óleo foram retirados da Ponta da Baleia, no município baiano de Caravelas.

manchas de óleo em Abrolhos
Crédito: Divulgação/Marinha do BrasilFragmentos de óleo na praia norte da Ilha de Santa Bárbara

Nesse momento, navios da Marinha e da Petrobras estão na área, na tentativa de impedir que o óleo se alastre, causando danos ao local.

Parque de Abrolhos

Criado em 1983 pelo Governo Federal, o parque de Abrolhos protege o principal berçário das baleias jubarte do Atlântico Sul e reúne outras diversas espécies de tartarugas ameaçadas de extinção, como tartarugas de couro, cabeçuda, verde e de pente.

baleia jubarte em Abrolhos
Crédito: Joa_Souza/istockParque de Abrolhos é o atrativo natural de baleias jubarte

Um levantamento da biodiversidade da região registrou aproximadamente 1.300 espécies, 45 delas consideradas ameaçadas, segundo listas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) e do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Origem do óleo

Pesquisadores do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) da Coppe/UFRJ acreditam que o ponto de origem do despejo de óleo que polui a costa do Nordeste esteja em uma área entre 600 km e 700 km da costa brasileira, numa faixa de latitude com centro na fronteira entre Sergipe e Alagoas.

O trabalho foi realizado por meio de imagem de satélite, computação de alto desempenho e modelo matemático.

A área apontada fica em águas internacionais. Segundo o professor Luiz Landau, coordenador do laboratório da Coppe, essa parte da análise já foi entregue às Forças Armadas.

Até agora já foram recolhidas mais de 1 mil toneladas de resíduos das praias do Nordeste.

Compartilhe: