Últimas notícias:

Loading...

Najila é absolvida da acusação de fraude no caso Neymar

O ex-marido da modelo, Estivens Alves, também foi inocentado

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A Justiça de São Paulo inocentou Najila Trindade, que acusou o jogador Neymar de estupro em maio de 2019, da acusação de fraude processual. O ex-marido da modelo, Estivens Alves, também foi inocentado.

Tanto Najila quanto Estivens haviam se tornado réus por fraude processual porque, no entendimento do Ministério Público, eles dificultaram as investigações e teriam forjando um suposto arrombamento no apartamento onde a modelo morava na zona sul de São Paulo.

Najila
Crédito: Reprodução/InstagramNajila e ex-marido são absolvidos da acusação de fraude processual no caso Neymar

“Não seria razoável supor que o acusado [Estvens], com intuito de adulterar o local de um delito, filmasse o próprio crime que cometia, o que indica que de fato foi ao local apenas para pegar pertences da acusada Najila, que naquele momento não poderia permanecer em sua residência”, diz um trecho da sentença da juíza Ana Lucia Fernandes Queiroga, da 31ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda.

A juíza entendeu ainda que em nenhum momento Najila apagou imagens ou mudou senhas de um segundo tablet para atrapalhar as investigações policiais. Esse segundo aparelho seria do filho da modelo.

“Registre-se, ainda, que o ato de apagar dados de aparelhos eletrônicos, ou trocar senhas, são corriqueiros nos dias atuais, não se podendo dizer que tal conduta, por si só, configure uma inovação artificial com objetivo de induzir a erro perito ou juiz, mesmo porque, os réus não eram alvo da investigação que ocorria no inquérito policial naquele momento”, afirmou a magistrada na sentença.

A investigação sobre o suposto estupro do atacante do Paris Saint Germain e da seleção brasileira contra Najila foi arquivada em julho de 2019 pela Justiça, depois de a Polícia Civil decidir não indiciar o atleta pelo crime sexual. De acordo com a investigação, depoimentos e provas apresentados pela modelo apresentavam “incongruências”.

Compartilhe: