Parada LGBT de São Paulo lembra os 50 anos da rebelião de Stonewall

A revolta representou um marco importante na luta pelos direitos e visibilidade da comunidade LGBTQI+ no mundo

Por: Redação | Comunicar erro
Crédito: APOGLBT SPParada LGBT de São Paulo na Avenida Paulista

Com o tema “50 anos de Stonewall”, a 23º Parada LGBT de São Paulo — uma das maiores do mundo — vai sair às ruas no dia 23 de junho, domingo, com concentração na Avenida Paulista a partir das 10h. Segundo a responsável pelo evento, a ONG APOGBLT SP, o slogan desta edição celebra as conquistas e o orgulho de ser LGBTQI+.

A escolha do tema se deu porque a Rebelião de Stonewall, de 28 de Junho de 1969, representou um marco importante na luta pelos direitos e visibilidade da comunidade LGBTQI+ no mundo. Em 2019, em que a data completa 50 anos, a parada lembra esse movimento de resistência e visibilidade para essa população. Saiba mais sobre a escolha neste link.

Confira a programação completa da 23º Parada LGBT de SP

O Camarote Pride, primeiro camarote comercializável do evento, anunciou que Daniela Mercury é uma das atrações do espaço. Ela será coroada rainha do camarote, em frente ao Conjunto Nacional, e fará uma rápida apresentação para o público.

A parada de São Paulo acontece desde 1997 na Avenida Paulista. De acordo com a SPTuris, é o segundo evento que mais atrai turistas à cidade de São Paulo, ficando atrás da Virada Cultural. Em 2018, a produção do evento informou que cerca de 3 milhões de pessoas estiveram presentes no evento, que teve trios elétricos com artistas como Anitta e Pabllo Vittar.

Confira aqui o evento oficial da 23ª Parada do Orgulho LGBT de SP no Facebook.

Crédito: APOGLBT SP
Crédito: APOGLBT SP
Crédito: APOGLBT SP
Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil
Crédito: Luciano_Marques / iStock

Stonewall

Stonewall é uma referência ao bar “Stonewall inn”, em Nova York, nos Estados Unidos. O local era frequentado por grupos minoritários, como gays, lésbicas, bissexuais e trans, totalmente excluídos da sociedade norte-americana nas décadas de 1950 e 1960.

Em 28 de junho de 1969, o bar se tornou marco da luta pelos direitos de pessoas LGBTQI+ após agentes da polícia invadirem o local para humilhar e prender os frequentadores, que reagiram à situação de violência.

O episódio foi o estopim para uma série de manifestações espontâneas de membros da comunidade LGBTQI+ contra a invasão da polícia.

Serviço:

23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
Data: 23 de Junho de 2019
Local: Avenida Paulista
Que horas começa a Parada? A concentração é às 10h; a saída, às 13h30
Evento oficial neste link e mais informações aqui

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …