Paternidade: psicólogo diz que falta homens assumirem o cuidado

Os estereótipos de gênero aparecem nas brincadeiras, na escola e no dia a dia da vida de todos. Questioná-los e refletir sobre eles é fundamental para ter uma sociedade mais igualitária, em que as tarefas do lar sejam mais divididas, pais e mães estejam igualmente envolvidos na criação dos filhos e diminuam os índices de violência contra a mulher.

Faz parte desse movimento repensar a paternidade e ter políticas públicas que incentivem a participação dos pais na vida das crianças, que é justamente um dos focos do relatório Estado de la Paternidad – América Latina y el Caribe, um levantamento da paternidade na região que foi divulgado em junho deste ano.

Psicólogo diz que homens têm que assumir o papel de cuidadores

Como Marcos Nascimento, psicólogo que pesquisa as masculinidades na Fiocruz e participou da produção do relatório, afirma em entrevista ao Portal Aprendiz, há ainda muitas barreiras que impedem o homem de assumir a função de cuidador: “Falta pensar no cuidado como pertencente ao universo masculino, já que os homens são tão capazes de cuidar quanto as mulheres, só precisam ser educados para isso”.

Para o especialista, este é o momento de ressignificar o papel que o homem ocupa no mundo e fortalecer o vínculo parental nas famílias, algo fundamental para o desenvolvimento das crianças. É importante, ainda, compreender a função do pai para além daquele que “ajuda”: “Não é ajuda, é uma tarefa de cuidado. Ninguém diz que mãe ajuda. Com os homens é a mesma coisa: o cuidado não é um favor e sim parte de seu papel. Isso é tão internalizado que procuramos adjetivos para classificar a paternidade associada ao cuidado: paternidade ativa, responsável, nova paternidade. Nós nunca fizemos isso com as mulheres, mas com os homens há um estranhamento”.

Psicólogo comenta levantamento sobre paternidade na América Latina

Com relação a políticas públicas que incentivem essa participação, Marcos diz que há alguns avanços, como a lei que dá ao homem o direito de acompanhar a gestante no parto e a licença paternidade de 20 dias para alguns cargos públicos e nas empresas que aderiram ao programa Empresa Cidadã. No entanto, há muito que se conquistar.

Leia a entrevista na íntegra aqui.

Leia mais:

1 / 8
1
04:47
Entenda como o fogo na Amazônia virou uma crise internacional
O fogo que consome a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, já representa 52,5% de todas as queimadas registradas no …
2
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …
3
03:13
Kinoplex: o cinema sem defeitos em São Paulo!
Quem disse que cinema de shopping é tudo igual? São Paulo acaba de ganhar um espaço exclusivo, com seis salas …
4
08:59
Vinicius Poit defende Salles como ministro do Meio Ambiente
O deputado federal Vinicius Poit (NOVO-SP) defendeu a permanência de Ricardo Salles como ministro do Meio Ambiente no Governo Bolsonaro. …
5
02:28
Quais são os sintomas que são gerados pelo estresse?
Com a correria do dia-a-dia somos facilmente pegos pelo estresse. E o nosso corpo indica sinais de que estamos fisicamente …
6
03:52
Surge o BolsoLula: os mesmos vícios da velha política brasileira
No vídeo, o jornalista Gilberto Dimenstein explica o conceito da expressão 'BolsoLula' e analisa as consequências da interferência política exercida …
7
04:15
Como os Beatles mudaram minha vida: parte 1
Como seria o mundo sem a inovação e energia que a música ganhou pós-Beatles. Imaginou? E se as pessoas também …
8
03:02
Jair Bolsonaro é louco, ignorante ou irresponsável?
O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta quarta-feira, 21, apontando que ONGs poderiam estar por trás das queimadas na …