Publicidade

Informar

Projetos sociais incentivam prática de artes marciais em Manaus

Com informações da matéria "Manaus é considerada um ‘celeiro’ de talentos para o País nas artes marciais", de Diogo Rocha e Diego Toledano, para o portal D24 Amazonas

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

Manaus é um celeiro talentos nas artes marciais. Randes Lutadores do MMA, como José Aldo, Mária Israel, Diego Brandão e Ronaldo Jacaré são exsemplios de talentos que surgiram da capital do Amazonas.

Para que mais talentos possam surgir e para incentivar a prática esportiva, alguns projetos sociais fomentam a prática esportiva. Conheça alguns deles.

Divulgação
Alunos da Associação Sensei de Lutas Esportivas de Manaus

Associação Sensei de Lutas Esportivas (Asle)

O empresário e sensei Henrique Machado criou o projeto que funciona há duas décadas e oferece aulas de artes marciais em um centro de treinamento em terreno de 10 mil metros quadrados, construído sem ajuda do poder público no bairro do Aleixo – uma das três sedes do projeto.

Ronaldo Jacaré, do Ultimate Fighting Champshiop (UFC) foi um dos talentos descobertos pelo projeto, que já chegou a atender mais de 800 alunos.

Hoje, o projeto atende público que procura as artes marciais para profissionalização, terapia ou curiosidade. Apesar disso, o projeto não perdeu o cárater assistencialista.

110 alunos contam com bolsas parciais ou integrais e 12 moram na sede do Aleixo, que conta com ginásio, academia, cantina, alojamentos e lavanderia .

Construindo Campeões do Amazonas

O projeto social de jiu-jistu é uma ONG fundada pelo faixa preta Márcio dos Santos Guimarães, 33. Ele começou o projeto dando aulas na escola da filha, que não tinha atividades esportivas. Ele largou o trabalho na Petrobras para dedicar integralmente ao ensino e prática do jiu-jitsu.

Além de ajudar muitos jovens em situação vulnerável do bairro Compensa, o projeto revelou uma campeã: Letícia Ribeiro, 11, foi campeão mundial na categoria pena, infanto- juvenil em 2011.

Literatura no Tatame

Laércio Sarmento Júnior fundou o projeto Literatura no Tatame, que reúne leitura e esporte para 90 crianças no bairro Parque das Nações. A ideia é mudar a rotina de crianças que passam muito tempo em casa, assistindo televisão ou jogando vídeo-game.

O objetivo do projeto é melhorar a saúde com a prática esportiva e incentivar os estudos com a leitura. Ele construiu a sede do projeto com dinheiro próprio na casa da família.

 

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Você sabe o que é feminicídio?

O restaurante de comida havaiana do ex-masterchef Ravi

Conheça o lavandário de Cunha

ASMR: O fenômeno do "orgasmo mental"

Publicidade