Saiba de qual parte da história do Brasil a Bossa Nova faz parte

Por: Keila Baraçal

As canções de Vinícius de Moraes e Tom Jobim podem ser reencontradas em um palco montado especialmente para a exposição Bossa na Oca, no Parque do Ibirapuera. Nele há um piano, um banquinho e um telão que garante ao expectador alguns dos shows realizados por esses artistas que já morreram. Esta e outras atrações servem para comemorar os 50 anos da Bossa Nova – um dos movimentos musicais mais conhecidos da música brasileira.

Chega de Saudade: um dos hits da Bossa nova

“Chega de Saudade” (de Tom Jobim e Vinícius de Moraes), “Bim Bom” (de João Gilberto)”, “Garota de Ipanema” (de Tom Jobim e Vinícius de Morares) e tantas outras canções da época podem ser encontradas no espaço, que fica aberto das 10h às 21h (às terças-feiras, Catraca Livre/Grátis). A mostra está aberta ao público até a primeira semana de setembro.

Mas mais do que conhecer essas músicas e ir até a exposição, vale a pena também entender o motivo pelo qual aí está uma boa oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o que significa a Bossa Nova.

Oficialmente, o movimento começou em 1958, ano em que João Gilberto , um dos percussores do movimento gravou a canção “Chega de Saudade”. Saudade, aliás, que é uma palavra exclusivamente brasileira e traduz o sentimento de uma pessoa sente falta de alguém ou de alguma coisa.

João Gilberto – ao lado de Tom Jobim, Vinícius de Moraes, João Donato, Jhonny Alf, Carlos Lyra, Sylvia Telles, Roberto Menescal e outros nomes – fez da Bossa Nova uma releitura do samba e do jazz. Do samba, os músicos abandonaram o uso dos vozeirões (e a inconsolável dor cotovelo), cantados nos sambas-canções da década anterior. Passaram para o canto mais descontraído, numa relação entre roda de música e amigos. Do jazz – recém-chegado ao Brasil por conta da difusão cultural causada pela Segunda Guerra Mundial – os músicos improvisavam e tiravam sons através clarinete, piano e sax etc.

Embora o cenário da Bossa Nova tenha acontecido em terras cariocas, o Brasil passava por intensas transformações estruturais. Àquela altura da história, quem governava o país era Juscelino Kubitschek – conhecido pelo slogan “50 anos em 5” e por ser o responsável pela construção de Brasília. A cidade foi oficialmente inaugurada em 1960, mas já antes disso, documentos oficiais já estavam sendo publicados sobre o assunto.

Passados os cinqüenta anos, desde que a Bossa Nova começou a ser entendida como tal, artistas contemporâneos têm resgatados os conceitos musicais executados na época. Os arranjos trazem swings de jazz e samba.

Veja a galeria de imagens sobre a exposição (Fotos: Miguel de Castro)

Compartilhe: