Witzel comemora morte de sequestrador na ponte Rio-Niterói

No vídeo, o governador do estado aparece celebrando, com socos no ar e punho cerrado, a operação policial na manhã desta terça-feira, 20

Por: Redação
Witzel helicóptero
Crédito: Reprodução / GloboWitzel chegou de helicóptero até o local do crime

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi flagrado em um vídeo comemorando, com socos no ar e punho cerrado, a operação policial que terminou com a morte do sequestrador de um ônibus na ponte Rio-Niterói na manhã desta terça-feira, 20.

Witzel chegou de helicóptero até o local e parabenizou os policiais que participaram da ação. Em seguida, deu uma entrevista afirmando que a solução não era a ideal, mas a decisão de atirar no sequestrador, identificado como William Augusto da Silva, foi a única possível para salvar os reféns. Assista ao vídeo:

Segundo a Polícia Militar, o responsável pelo crime foi morto ao ser atingido por disparos de um atirador de elite. Ele chegou a ser levado ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro, mas não resistiu.

“Muitas pessoas não entendem o trabalho da polícia que, às vezes, tem que ser dessa forma. Se não tivesse abatido esse criminoso, muitas vidas não seriam poupadas”, defendeu o governador do estado.

Witzel ainda disse que conversou com familiares do suspeito, que serão amparados pelo estado. “Um dos familiares pediu desculpas a toda à sociedade, aos reféns e disse que algo falhou na criação”, afirmou.

Sequestro do ônibus na ponte Rio-Niterói

Desde às 5h40 da manhã desta terça-feira, 20, um homem armado com um revólver, uma pistola de choque e um galão de gasolina fez reféns dentro do ônibus onde ele também viajava, na Ponte Rio-Niterói, no sentido do Rio de Janeiro (RJ).

Em determinado momento do trajeto, o rapaz ordenou que o motorista parasse o veículo e anunciou o crime. O sequestro acabou por volta das 9h04, quando um atirador de elite disparou sete vezes contra o bandido e fez sinal positivo, confirmando que ele havia sido morto.

Os 37 reféns foram libertados sem ferimentos.

Ainda não se sabe a motivação do sequestrador, que afirmava ter um revólver, uma pistola de choque e combustível durante a ação. Após o fim do sequestro, a PM confirmou que ele usava uma arma falsa.