Dimenstein: a relação doentia de Bolsonaro e seu filho Carlos

Nessa relação doentia, Bolsonaro não percebe que o pior prejudicado é ele próprio.

Por: Gilberto Dimenstein Comunicar erro

O texto acima é mais um sinal da relação doentia entre Jair Bolsonaro e seu filho Carlos.

Está óbvio no post uma crítica ao processo democrático.

Ele chega a externar a suspeita de que, com democracia, talvez nenhuma mudança ocorra.

A reação, óbvia, foi gigante. Até porque o histórico familiar não é de defesa da democracia.

Crédito: Reprodução/Twitter Bolsonaro e o filho Carlos no hospital

Pelo contrário: eles defendem a censura, a tortura, a ditadura.

O texto, em essência, demoniza a democracia.

Ao sair do hospital, Bolsonaro defendeu o filho –o que só revela que Carlos pode fazer o que quiser e quando quiser.

“É uma opinião dele, e ele tem razão. Se fosse em Cuba ou na Coreia do Norte, já não teriam aprovado tudo quanto é reforma sem Parlamento? Demora, porque tem a discussão. Isso é natural, porque tem muita gente que nos pressiona como se tivesse poder de influenciar o Parlamento. Não tenho esse poder e nem quero ter esse poder em nome da democracia. Ele até falou o óbvio. Eu, se estivesse estudando português no meu tempo de garoto, ia falar que essa é uma figura de linguagem conhecida como pleonasmo abusivo, como o leite é branco, o café é preto, e o gelo é gelado. Não devia ter essa repercussão toda. Teve porque é meu filho. Se fosse qualquer outra pessoa, não teria problema nenhum”.

Bolsonaro fez de seu filho um porta-voz informal da presidência da República – mesmo que ele seja apenas um vereador do Rio.

O presidente é incapaz de diferenciar questões familiares dos interesses públicos.

Indicou o filho Eduardo para embaixador nos Estados Unidos, oferecendo dinheiro público para aprovação no Senado.

Mexeu na Polícia Federal, Coaf e Polícia Federal para proteger o filho Flávio.

Nessa relação doentia, Bolsonaro não percebe que o pior prejudicado é ele próprio.

Mas sempre terá alguém para levar a culpa: a imprensa, por exemplo.

Ou o processo democrático.

Basta ver que o que anda fazendo e falando  o ideólogo da família: Olavo de Carvalho.

“A classe jornalística é o grande inimigo do Brasil, porque ela está identificada com o Foro de SP, trabalha para o Foro de SP”, disse.

Ou seja, Estadão, Globo, Folha, Veja –todos conservadores– estariam a serviço do comunismo.

Por: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.

1
03:38
Joice Hasselmann é a prova viva da doença mental de Bolsonaro
Joice Hasselmann não fez nada de errado em relação a Jair Bolsonaro. Como política, criou vários canais de diálogo, como …
2
02:21
Polícia Federal revela fraude do PSL
Uma operação da Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão nesta terça-feira, 15, em endereços ligados ao deputado federal …
3
02:44
Carta da prisão mostra suposto mandante da facada de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo na internet afirmando ter recebido uma carta com o nome do suposto mandante …
4
03:35
Assessor de Bolsonaro chama Coringa de esquerdista sem Deus
O filme do inimigo do Batman chegou definitivamente para colocar mais lenha na fogueira das discussões políticas. Que o diga …
5
02:46
Bolsonaro vai ter de engolir a Folha de S.Paulo sem água
Uma matéria publicada pelo jornal Folha de S.Paulo mostra que a Polícia Federal (PF) indiciou o ministro do Turismo, Marcelo …
6
02:43
Bolsonaro briga com novos métodos medicinais
A proposta que visa liberar o cultivo da maconha medicinal no Brasil segue em discussão na Anvisa (Agência Nacional de …
7
02:42
A novela de Adélio Bispo ganha um novo aliado
Mal assumiu o cargo de procurador-geral da República, Augusto Aras já mostra estar alinhado com Jair Bolsonaro ao aderir à …
8
02:49
Entenda por que Lula não quer sair da cadeia
O ex-presidente Lula reafirmou nesta segunda-feira, dia 30, que não vai aceitar a proposta feita pela força-tarefa da Operação Lava-Jato …