CCXP: Painel mostra a força das HQs para o jornalismo

As histórias em quadrinhos têm a capacidade de criar realidades fantásticas em qualquer universo que a imaginação possa conceber. Mas um painel durante a Comic Con Experience lembrou que as HQs possuem um poder talvez ainda maior: o de retratar com um novo olhar a nossa própria realidade.

Com o quadrinista Alexandre De Maio e o escritor Ferréz, o painel “Jornalismo e a periferia nos quadrinhos” lembrou a longa simbiose entre jornalismo e quadrinhos, que, dependendo da sua definição de jornalismo e quadrinhos, até as pinturas rupestres em cavernas.

“Já no século 19 os quadrinhos falavam sobre o cotidiano em páginas sobre comportamento,” disse De Maio, que é autor de “Meninas em Jogo”, história em quadrinhos sobre a exploração sexual de meninas em Fortaleza, e a inatividade de autoridades e instituições para evitar isso. “Pesquisando a HQ vimos como funciona a pressão das famílias e como instituições como a delegacia da mulher simplesmente não funcionavam além da aparência.”

Ferrez e Alexandre de Maio na Comic Con Experience: o poder das HQs de dar voz aos marginalizados.
Ferréz e Alexandre De Maio na Comic Con Experience: o poder das HQs de dar voz aos marginalizados.

De Maio lembrou a tradição do quadrinho jornalístico no Brasil e no mundo, passando por ‘Nhõ Quim’, de Angelo Agostini, e mais recentemente em graphic novels como ‘Maus’, de Art Spiegelman, ‘Palestina’, de Joe Sacco, e ‘Sendero Luminoso’, de Jesús Cossío.

“O quadrinho jornalístico segue as mesmas regras de todo o jornalismo, ética apuração e ser fiel aos fatos,” disse de Maio. “E a HQ ainda é uma forma de mostrar a realidade da periferia de uma forma que o texto comum não consegue dar conta.”

Voz à periferia e mortos pelo esquecimento

“Da periferia que vem o trabalho e o suor que vai cuidar da família da elite,” disse Ferrez, lembrando o poder dos quadrinhos e da literatura para dar voz a grupos marginalizados. “A periferia tem acesso à banca de jornal, mas não à livraria. Por isso é importante distribuição de informações sobre a vida dos quadrinhos ali. A periferia abraçou a linguagem dos quadrinhos por esse motivo.”

A questão da distribuição, ou falta de, quadrinhos independentes nacionais foi levantada pelos palestrantes. “A globalização faz com que a gente seja inundado pelos quadrinhos bons de fora, mas também os ruins e os muito ruins,” disse Ferréz. “Enquanto isso, temos aqui quadrinistas incríveis que são nossos vizinhos e ficamos cultuando os europeus.”

Reprodução
“Morro da Favela”, de André Diniz: exemplo de resgate tanto das histórias nacionais quanto do estilo tradicional de xilogravura.

Ferréz lembrou o resgate do traço ao estilo de xilogravura de André Diniz em “Morro da Favela”, assim como o reconhecimento em prêmios internacionais de quadrinistas como Marcelo Quintanilha e Marcelo D´Salete. “Somos os ‘alternativos’ no nosso próprio país, quando lá fora o trabalho de brasileiros é muito reconhecido.”

Um sociedade que não valoriza a própria cultura está fadada a ser definida pela cultura dos outros. Talvez aí a grande importância de dar mais espaço ao jornalismo em quadrinhos, que mantém vivas as nossas histórias, mostrando as contradições e injustiças que existem debaixo do nosso nariz.

Compartilhe:

1 / 8
1
01:02
As publicidades de elevador mais criativas
A equipe do Mestres da Criatividade selecionou a lista das dez propagandas de elevador mais criativas para inspirar o seu …
2
59s
Os dez prédios mais estranhos do mundo
A equipe do Mestres da Criatividade separou a uma lista dos dez prédios mais estranhos do mundo. Lugares ótimos para …
3
01:03
Os dez jardins mais lindos do mundo
A equipe do Mestres da Criatividade separou a uma lista dos dez mais bonitos jardins do planeta. Lugares ótimos para …
4
02:11
Conheça a história do Museu Guggenheim em Nova Iorque
O jornalista Gilberto Dimenstein visitou o museu Guggenenheim em Nova Iorque e nos conta sobre a história desse lugar maravilhoso. Este …
5
02:20
Avô dança com neto na véspera de cirurgia
O pequeno garoto coreano Kyu San Juan descobriu que teria que se submeter a uma delicada cirurgia no cérebro. A …
6
01:51
Gari defende TCC vestido com uniforme de trabalho
O gari Ednilson de Pontes Silva, de 31 anos, defendeu seu trabalho de conclusão do curso de licenciatura em história …
7
01:20
Cientistas conseguem transformar sangue tipo A em tipo O
Um grupo de cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, conseguiram transformar sangue do tipo A em doador universal. O …
8
01:26
Alunos criam filtro que transforma água da chuva em potável
A Amazônia tem mais de 10 milhões de pessoas sem acesso à água. Com objetivo de levar água para toda …