Brasileira cria rede social para troca de talentos entre usuários

Por: Silvia Melo Comunicar erro

O que você faz no seu tempo livre? A baiana Lorrana Scarpioni, de 24 anos, propõe usar esse espaço na agenda para ensinar o que sabe e aprender o que tem vontade. Foi a partir dessa ideia que nasceu a rede social Bliive, que promove a troca de experiências entre os usuários, sem uso de dinheiro.

No ar há mais de um ano, com versões em português e inglês, a plataforma hoje conta com mais de 100 mil usuários espalhados em 120 países e funciona assim: a pessoa se cadastra e oferece algum serviço (pode ser aula de piano, de violão, de inglês, reparos em casa, leituras de tarô, etc), em troca recebe o TimeMoney, uma espécie de moeda que pode ser usada depois para adquirir qualquer outro conhecimento. Ninguém precisa pagar para aprender o talento do outro: o negócio acontece na base do escambo de tempo livre.

Reprodução/arquivo pessoal
Lorrana usou o dinheiro do estágio para realizar sonho

O objetivo da plataforma online é aproximar e valorizar as pessoas usando a colaboração e a troca de experiências.  “Queremos ser referência em colaboração, inovação social, relações humanas positivas, economia criativa e consumo sustentável”, explica Lorrana.

Os brasileiros representam cerca de 90% dos usuários, seguidos por pessoas de Portugal, Estados Unidos e Reino Unido, nessa ordem. “O Bliive já proporcionou mais de 13 mil trocas, sendo que 1.547 estão finalizadas”, contabiliza Lorrana.

Reconhecimento

O negócio já conquistou vários prêmios nacionais e internacionais. No fim de abril, Lorrana foi considerada um dos dez brasileiros mais inovadores com menos de 35 anos pela edição em português da Technology Review, revista de inovação do MIT (Massachusetts Institute of Technology). Ela era a mais nova da lista, que tinha somente duas mulheres.

Como surgiu a rede de troca?

Graduada em Direito e Relações Públicas, a jovem teve a inspiração para criar o Bliive aos 21 anos, quando era universitária e assistiu a documentários sobre economia alternativa e colaboração online. Na época, além de usar o dinheiro do estágio, ela precisou da ajuda financeira dos pais para tirar o plano do papel.

Dois conceitos estavam na cabeça de Lorrana: troca de tempo e ajuda mútua, mas não foi fácil encontrar pessoas que embarcassem no projeto. O primeiro a abraçar a ideia foi o advogado Roberto Pompeo, seu então professor de direito. Unidos pela ideia, eles recrutaram o resto da equipe, que hoje é formada por seis pessoas.

Lorrana pensa em fazer a rede crescer ainda mais. Entre os planos, está lançar um aplicativo e investir no Bliive Grupos, o principal produto do Bliive, que pretende vender a empresas, escolas e organizações o acesso a uma rede exclusiva e customizada de troca de tempo. O objetivo é promover a colaboração, integração e capacitação em ambientes internos, entre alunos, professores e funcionários.

1
03:18
Como economizar dinheiro usando o celular #CatracaLivreEconomize
Sabia que dá para ganhar dinheiro compartilhando os códigos de descontos oferecidos por aplicativos como uber eats, ifood, 99 e …
2
02:02
Como fazer uma casa para o seu pet com uma lata usada #CatracaLivreEconomize
Aprenda como reciclar uma lata de tinta vazia para criar uma linda casa personalizada para o seu pet. Tudo o que …
3
39s
Mercado de SP tem descontos de até 70%
Para consumo imediato: mercado de SP tem desconto em produtos. Saiba mais aqui: http://bit.ly/2vZHsow Gostou? Deixe um like e siga nosso …
4
01:36
Marca japonesa Miniso chega ao Brasil
Opa, uma nova rede de lojas de 'presentinhos' e produtos diversificados chegou a São Paulo – e uma de suas …
5
01:54
Campanha dá disco de vinil a doadores de sangue e de agasalho
Conheça a campanha que o Casarão do Vinil e o Feirão 1 Milhão de LPs criaram para incentivar a doação …
6
01:38
Visitamos um outlet da Forever 21
O outlet da Forever 21 fica pertinho da cidade de São Paulo e oferece descontos imperdíveis para quem tá precisando …