Mestrado é melhor opção para quem quer ganhar mais

Por: Silvia Melo

Foi-se o tempo em que MBA era a qualificação de destaque no mercado de trabalho. A bola da vez agora entre os empregadores é a pós-graduação stricto sensu. É o que afirma a nova pesquisa anual da Consultoria Produtive, que comparou a relação direta entre o nível de formação e a remuneração dos executivos entre janeiro e julho de 2014 ante o mesmo período de 2015.

Em um ano, profissionais com mestrado no currículo tiveram um aumento de 21,4% na média de remuneração. No ano passado, a média salarial desses profissionais era de R$ 13.804, neste ano saltou para R$ 17. 561.

Istock
Quem tem mestrado teve um aumento salarial maior

Enquanto isso, os profissionais com uma pós-graduação lato sensu tiveram um reajuste de 12,4%. E quem fez mais de uma especialização aumentou seus ganhos em 14,6%.

Já os profissionais que pararam na graduação tiveram um reajuste pouco expressivo, mostrando que, não investir na capacitação segue não sendo uma boa estratégia de carreira. Com apenas 4,6% de acréscimo nas remunerações, a média dos salários desse grupo passou de R$ 5.812 para R$ 6.096.

De acordo com o CEO da Produtive, Rafael Souto, isso aconteceu porque a educação executiva não parou de evoluir. Enquanto nos anos 80, o diferencial era ser graduado, na década de 90 se sobressaía quem tinha uma especialização. Hoje, o diferencial é ter o mestrado e, em algumas posições, o doutorado passou a ser valorizado na hora da seleção para uma vaga.