Conheça o Dogging: O prazer de transar em locais públicos

Dogging. Você já ouviu essa palavra alguma vez? Não, não é Dogging de ‘passear com o cachorro’. Acredite, há outra definição para essa expressão e ela está ligada à um contexto sexual. Ainda não sabe o que é? Então, fique ligado, porquê essa moda está pegando e não é de agora.

A pergunta que não quer calar: o que raios é Dogging?

O termo Dogging nasceu em meados da década de 1970, na Inglaterra, e é uma prática que combina voyeurismo e exibicionismo, mas, como uma característica diferença: o ato – sexo – é realizado sempre ao ar livre. Isso mesmo! Em áreas públicas ou semi públicas.

Os casais adeptos dessa tendência costumam ir para alguma área pública tarde da noite e com pouca circulação, como praças ou parques, até estacionamentos, e lá começam a ter relação ou se exibir para desconhecidos – na maioria, homens – que se masturbam ao redor do veículo enquanto assistem tudo.

Ok, mas a questão é: onde isso é excitante?

Bem, assim como o próprio voyeurismo, a excitação vem justamente da exposição diante estranhos e da quebra de regras que é transar num lugar completamente inusitado, no caso, a rua. Com a única distinção do voyeurismo convencional, que é a observação acontece mais de perto e há possibilidade de participar do sexo.

A sensação do proibido e o medo de ser descoberto (até porquê, transar em locais públicos dá cadeia), provoca a libido e pode proporcionar um prazer mais intenso. Por essa razão, o Dogging tem evoluído tanto e ganhado cada vez mais adeptos, afinal de contas, quem nunca teve vontade de se enroscar na rua?

PARTICIPE: Balada liberal e Casas de Swing…experiências.
PARTICIPE: Sexo no carro. Será?

Existem regras, sim!

Tal como toda e qualquer prática sexual, o Dogging também possui regras, principalmente, por ser uma atividade ilegal. Os praticantes marcam encontros pela internet, em sites ou fóruns voltados ao tema, e escolhem o lugar. As pessoas geralmente optam por carros, pois, além de mais prático, é um espaço mais “intimo” no ambiente urbano.
As regras são simples e bem definidas:

  • Se as luzes do carros estiverem acessas, significa que as pessoas ao redor podem se aproximar e assistir;
  • Se as janelas estiverem abertas, significa que é permitido tocar no casal e vice-versa;
  • Se as portas estiverem abertas, significa que a participação no sexo é permitida.

Existem exceções, claro, mas isso vai de cada casal e dos limites que são estabelecidos entre si e os outros envolvidos.

Prós e Contras

Continue lendo Conheça o Dogging: O prazer de transar em locais públicos

Compartilhe:

1 / 8
1
19:44
Copa feminina: Boletim da Tia Paulinha – Episódio 4
O Brasil encerrou a sua participação na Copa da França após um jogo disputadíssimo com as donas da casa. A …
2
03:16
‘Doutor Sono’, continuação de ‘O Iluminado’, vem por aí nos cinemas
Foram longos anos para termos, em livro, uma continuação da clássica obra de terror de Stephen King, “O Iluminado”. Em “Doutor …
3
05:41
Netflix: ‘Guerras do Brasil.doc’ põe em dúvida nosso caráter pacífico
"O Brasil é um país pacífico".  Depois de assistir a cada um dos cinco episódios da série documental da Netflix …
4
03:29
Maurício de Souza se emociona em première do filme da Turma da Mônica
O aguardado live-action da Turma da Mônica foi responsável por um fofíssimo episódio envolvendo seu criador, o quadrinista Maurício de …
5
05:00
Netflix: ‘Elisa y Marcela’ um amor à frente de seu tempo
Você já imaginou ser possível a Igreja Católica realizar um casamento entre duas mulheres na Espanha em 1901 e esse …
6
01:25
Obras de Cândido Portinari estão no ‘Google Arts and Culture’
Cinco mil obras do pintor Candido Portinari foram disponibilizadas de maneira digital pela plataforma Google Arts & Culture. Pra acessar é …
7
09:12
Copa feminina: Boletim da Tia Paulinha – Episódio 2
Cristiane meteu 3 nas redes jamaicanas e garantiu a vitória do Brasil no jogo de estreia na Copa do Mundo. Como …
8
04:32
‘Baseado em Fatos Raciais’ aborda maconha e preconceito na Netflix
Já imaginou uma aula de história, regada à jazz, rap, vinil e maconha? Gostou? Então assista ao documentário "Baseado em …