Datena é atacado por apoiadores de Bolsonaro após chamá-lo de bundão

Bolsonaristas chamaram o apresentador de falso e até de esquerdista

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O apresentador José Luiz Datena foi atacado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após dizer que o chefe do executivo nacional “é bundão”, ao vivo, durante o Brasil Urgente, na TV Band, nesta segunda-feira, 24.

datena
Crédito: Reprodução/BandDatena é atacado por apoiadores de Bolsonaro após chamá-lo de bundão

Datena respondia Bolsonaro que chamou jornalistas de “bundões”, em seu discurso, no evento que promoveu nesta segunda, o “Vencendo a Covid-19”, em Brasília. A declaração do presidente se deu após ele ter dito que queria encher um repórter do jornal O Globo de porrada.

Para Datena, o presidente “abre um caminho de duas mãos, porque não pode ofender qualquer cidadão brasileiro da forma como ofendeu, seja ele da imprensa ou não. Eu, por exemplo, sou do jornalismo e não sou bundão, senhor presidente Bolsonaro. Eu não sou bundão. Agora, o senhor me dá o direito de chamar o Jair (Bolsonaro) de bundão. Então bundão é o Jair. Bundão é o senhor!”, criticou o apresentador ao vivo.

Um bolsonarista chegou a chamar Datena de esquerdista. Ideologicamente falando, o apresentador nunca se viu próximo, aliado ou até mesmo tecendo elogios há políticos e personalidades de ideologia de esquerda. O jornalista é comumente visto próximo de políticos tucanos e da direita tradicional do Brasil. “Sai fora, esquerdista fracasso”, escreveu o internauta.

Os apoiadores do presidente foram ás redes sociais atacar o apresentador com diversas ofensas. Datena foi acusado de ser falso, já que até pouco tempo atrás, ele adotava um discurso de baixo teor crítico contra Bolsonaro.

O fato que colocou o apresentador e o presidente em lados opostos foram as críticas contra a TV Band que aconteceram durante a famosa reunião ministerial de março, denunciada por Sérgio Moro, como momento em que Bolsonaro deixou claro que queria interferir na atuação da Polícia Federal.

Confira a repercussão: