Maisa Silva chama internauta de pedófilo após ser assediada

Erramos ao divulgar que se tratava de uma "cantada agressiva", corrigimos o título da matéria para o que, de fato, se tratou o caso ‬

Por: Redação

Maisa Silva usou seu perfil no Twitter para rebater um internauta que a assediou no microblog, no último domingo, 6. A apresentadora do SBT, de 17 anos de idade, chamou o rapaz, que usa a conta na rede social com o nome Adriano, de pedófilo.

maisa silva
Crédito: Reprodução/SBTAos 17 anos, Maisa Silva rebateu um ataque de um internauta que mandou mensagem de cunho sexual a ela

“Você deve ser uma delícia sem calcinha”, escreveu ele. A atriz, por sua vez, rebateu: “Você deve ser lindo apodrecendo na cadeia, seu imundo. Todo dia algum pedófilo asqueroso, podre, nojento dos infernos falando bosta”.

O comentário foi feito embaixo de um vídeo compartilhado pelo perfil do canal GNT, que exibiu um trecho da participação da apresentadora no programa “Desengaveta”.

Os fãs de Maisa ficaram revoltados e enviaram mensagens de apoio a ela. Teve gente que foi além e marcou o perfil da Polícia Federal no post ofensivo como forma de denúncia.

Como denunciar casos de abuso infantil

Diariamente, crianças e adolescentes são expostos à violência sexual. Até abril de 2019, o Disque 100 recebeu mais de 4 mil denúncias de abuso infantil em todo o Brasil, mas sabemos que esses dados não estão nem perto da realidade, uma vez que ainda é difícil ter estatísticas que realmente abranjam o problema de forma real.

Tipos de abuso infantil
É importante lembrar que abuso sexual, violência sexual e pedofilia são coisas distintas.  Segundo o Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes:

Pedofilia: Consta na Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID) e diz respeito aos transtornos de personalidade causados pela preferência sexual por crianças e adolescentes. O pedófilo não necessariamente pratica o ato de abusar sexualmente de meninos ou meninas. O Código Penal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) não preveem redução de pena ou da gravidade do delito se for comprovado que o abusador é pedófilo.

Leia a matéria completa no link.

Compartilhe: