Xuxa se arrepende de amizade com João de Deus: ‘Monstro’

Em documentário, apresentadora disse que tem pelo médium condenado uma gratidão vestida de vergonha

Por: Redação

Se Xuxa Meneghel pudesse voltar no tempo, uma das coisas que ela mudaria seria sua crença em João de Deus. No relato da apresentadora para a série documentada ‘Em Nome de Deus’, do GloboPlay, a apresentadora falou sobre a sua relação com o médium, condenado a 63 anos de prisão por abuso e violência contra várias mulheres.

xuxa joão de deus
Crédito: Reprodução/GloboApresentadora Xuxa foi ao centro de João de Deus em busca da cura para sua mãe

No relato, a artista conta que procurou João para o tratamento da mãe, Alda Meneghel, que sofria de Mal de Parkinson e morreu em maio de 2018.

A eterna rainha dos baixinhos ficou próxima de João de Deus, mas usou palavras fortes para descrever tamanha decepção com o médium.

“Existe gratidão? Uma gratidão vestida de vergonha, porque a gente não pode ser grata por um monstro. É um monstro, é fato. Mas existiu coisas que realmente ali eu poderia te dizer, eu vi ele operando, eu estava ali segurando, eu vi pessoas que falavam: ‘Não tenho um joelho, e ele me fez andar’. E uma pessoa não tinha joelho, cara!”, contou.

Xuxa ainda relatou que a mãe chegou a apresentar alguma melhora após o tratamento espiritual: “Quando ele a conheceu, ela estava no estágio três. Ela morreu no estágio cinco. Depois que ele fez as coisas, bem ou mal ela ficou mais em pé. Depois ela parou de andar, parou de falar, parou de se mexer. Mas ele acompanhou esses piores estágios da doença. Qualquer alento, qualquer coisa que ele pudesse me oferecer, oferecer para minha mãe, para mim era ‘uau’”, concluiu ela.

Em 2018, quando vieram à tona as denúncias de mulheres contra João de Deus, Xuxa Meneghel se manifestou nas redes sociais. Confira abaixo:

O QUE FAZER EM CASO DE ESTUPRO?

  • Cuide da sua saúde em primeiro lugar. Antes de se preocupar com as medidas legais é importante receber atendimento médico, se necessário. Existem centros especializados em saúde da mulher que costumam estar melhor preparados para os casos de violência sexual;
  • Chame a polícia ou vá até uma delegacia;
  • Será feito um boletim de ocorrência e você será encaminhada, em seguida, a um hospital para realizar exames e receber medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis (como o HIV), além de receber a pílula do dia seguinte para evitar gravidez, caso já não tenha passado por atendimento médico;
  • O boletim de ocorrência logo após o crime é importante para que seja feito o exame de corpo de delito (realizado por um médico no Instituto Médico Legal — IML). Por essa mesma razão, não é recomendável que a vítima tome banho após o ocorrido, pois isso pode impedir a coleta de algumas provas importantes para a investigação e posteriormente para o processo criminal (ex: identificação da presença de sêmen o que pode auxiliar até na identificação do autor). Além disso, é importante guardar as roupas usadas no momento do crime para coleta de provas. O DNA do autor pode ser coletado destas peças de roupa, por exemplo;
  • Nos casos em que houve o uso de drogas como o “Boa Noite Cinderela” é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é fazê-lo o quanto antes possível;
  • Nunca se deve culpar a vítima pelo crime cometido contra ela. A culpa jamais será da vítima e pressão de amigos e familiares indagando sobre a roupa, comportamento, postura, circunstâncias corroboram para os altos índices de suicídio entre vítimas de estupro.

Leia o post completo AQUI.