Depois de Juliana Paes criticar o "radicalismo" do feminismo em entrevista à revista Veja no começo do mês, foi a vez de Paolla Oliveira dizer o que pensa sobre o assunto. A atriz falou sobre sua personagem na novela das nove "A Força do Querer", da TV Globo, à coluna da Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo neste domingo, 23, e sobre feminismo.

Créditos: Reprodução/Instagram/paollaoliveirareal

Paolla Oliveira interpreta a policial Jeiza na nova novela das nove

Na trama, Paolla vive Jeiza, uma policial que pratica MMA e que sonha em se tornar uma lutadora. Apesar da personagem ser descrita pela emissora como "uma policial linda, mas durona e cheia de garra, que quer mostrar que mulher pode fazer o que quiser e não aceita domínio de namorado", a atriz preferiu não defini-la como feminista durante a entrevista.

"Tenho um pouco de dificuldade porque agora tudo virou: é feminista ou é machista. É ficar enquadrando as pessoas e colocando elas em apenas um lugar. A Jeiza, assim como eu, é mulher. Prefiro falar da palavra igualdade. A Jeiza quer ser mulher e não quer estar abaixo de ninguém, seja homem ou mulher. Quer só ser respeitada igualmente", disse à publicação.

O que Paolla não sabe é que feminismo não é o contrário de machismo, e que se a personagem quer ser respeitada igualmente, ela é feminista sim.

Entenda o que é feminismo

Ao contrário do que a atriz e muita gente pensa, o feminismo não prega ódio e muito menos a dominação das mulheres sobre os homens.

O machismo é um sistema de dominação e opressão presente na sociedade há séculos, tanto no sistema econômico e político, como nas religiões, na mídia e no núcleo familiar, este último apoiado em um regime patriarcal, onde a figura masculina representa a liderança.

O feminismo é um movimento social e político que luta por equidade de direitos, pelo fim da dominação de um gênero sobre outro e pelo empoderamento feminino.

Leia a coluna na íntegra.

'Não quero queimar sutiãs. Gosto de sutiãs', diz Juliana Paes