O nome é Tikker. Mas logo recebeu o apelido de “Relógio da Morte”.

Isso porque o projeto, em fase de captação de recursos, calcula o ano, o dia e a hora em que a pessoa deve morrer.

Para funcionar, o usuário preenche um formulário com uma bateria de perguntas sobre saúde – o que vai desde doenças dos antepassados, passando por estresse e alimentação, até o lugar em que vive.

Daí é feito o cálculo.

Apesar de parecer tenebroso, o relógio, segundo seus inventores, é para as pessoas aproveitarem melhor a vida.