Valor de auxílio-moradia para juízes "é muito pouco", afirmou nesta segunda-feira, dia 5, o novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, durante evento que abriu o ano da magistratura do Judiciário paulista.

Créditos: Fotoarena/Folhapress

A posse do desembargador Manoel Calças no TJ-SP

O desembargador recebe o auxílio, tem ao menos um imóvel nos Jardins, em São Paulo e afirmou que não considera antiético o benefício.

Segundo ele, o auxílio-moradia é um "salário indireto". "Ele tem o nome de auxílio porque na lei orgânica da magistratura é previsto como tal e tem uma decisão da Suprema Corte que está prevendo para todos os juízes", afirmou à "Folha".

Calças afirmou que abrir mão do recurso cabe a cada magistrado, que "tem que agir com a ética que entende que é adequada".

Leia a reportagem na íntegra.

Auxílio-moradia: juiz ganha ajuda, mas tem 60 imóveis

Imagem Autor

Editora de Urbanidade.

+ posts do autor