Pais do Distrito Federal se reuniram em Brasília pra comemorar uma decisão inédita do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Na última quinta-feira, 5, o TJDFT autorizou a família da adolescente Júlia, de 16 anos, a plantar maconha medicinal na casa deles no Lago Norte, em Brasília, para tratar a jovem.

Créditos: Foto: Roberta Nunes/SNB

Foto: Roberta Nunes/SNB

A garota tem a rara síndrome de Silver-Russel (SSR) — que afeta o seu desenvolvimento desde o útero — e teve um edema cerebral aos 3 anos, após tomar um anti-inflamatório.

O edema provocou uma paralisia do lado direito e a menina começou a ter convulsões e dor crônica.

Júlia, que está no segundo ano do 2º do Ensino Médio, também conversou com os jornalistas e disse que está se sentindo melhor tomando o canabidiol.

Neste domingo, 8, a família de Júlia recebeu visita dos pais de Anny Fischer, a primeira brasileira a conseguir  autorização judicial para usar cannabis medicinal no país, há quatro anos.

Continue lendo aqui.

Maconha não faz tão mal para saúde física, segundo pesquisa

Imagem Autor

O SóNotíciaBoa é uma plataforma de comunicação positiva que desde 2011 trabalha com jornalismo positivo na web. Sua missão é usar a informação para melhorar o dia das pessoas

+ posts do autor

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.