Moradia estudantil sustentável do Brasil é premiada no exterior

Localizada no Tocantins, a Aldeia das Crianças, que abriga alunos de uma escola rural, ganhou o Prêmio Internacional Riba 2018, do Reino Unido

Por: Redação |

Muitos dizem que a escola é a segunda casa. A educação, de fato, é acolhedora. E pode exercer um impacto social digno de premiação. Foi isso o que conseguiu, aliás, o projeto arquitetônico Aldeia das Crianças, moradia estudantil sustentável de uma escola rural que fica no Tocantins.

A moradia estudantil sustentável abriga alunos de uma escola rural do Tocantins
Crédito: Divulgação/Leonardo FinottiA moradia estudantil sustentável abriga alunos de uma escola rural do Tocantins

Ela levou o Prêmio Internacional Riba 2018, do Reino Unido. Essa competição é realizada a cada dois anos pelo Instituto Real de Arquitetos Britânicos.

E a concorrência para sair com a vitória foi árdua. A proposta da moradia estudantil sustentável venceu as de um edifício residencial em Milão, uma escola de música em Tóquio e uma universidade em Budapeste.

O projeto é assinado pelo designer Marcelo Rosenbaum e pelos arquitetos Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, do escritório Aleph Zero.

A moradia estudantil sustentável possui salas de estudo em sua estrutura
Crédito: Divulgação/Leonardo FinottiA moradia estudantil sustentável possui salas de estudo em sua estrutura

A estrutura é predominantemente de madeira e alvenaria. Em termos de sustentabilidade, sua construção prezou o uso de tijolos feitos in loco e estruturas pré-fabricadas, uma vez que o transporte para a região é complicado.

Localizado em Formoso do Araguaia, a 327 km de Palmas, o complexo se propôs a resgatar a cultura indígena em suas formas.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Espaço de recreação e convivência da moradia
Crédito: Divulgação/Leonardo FinottiEspaço de recreação e convivência da moradia

Nesse sentido, a sensação de pertencimento proporcionada pelo espaço é fundamental. Em sua área de 25 mil m², a Aldeia das Crianças, que atende 800 alunos da escola Canuanã com idades entre 13 e 18 anos, possui duas vilas que abrigam vários deles. Que, por sinal, deram pitacos no projeto para que ele atendesse às suas necessidades.

Madeira e alvenaria compõem a estrutura
Crédito: Divulgação/Leonardo FinottiMadeira e alvenaria compõem a estrutura

São, no total, 45 dormitórios para seis estudantes cada um, divididos em uma ala masculina e outra feminina. Há ainda na moradia espaço para leitura, sala de TV, varandas, pátios e redários.

A Aldeia das Crianças é mantida pela Fundação Bradesco e já ganhou também o prêmio de Arquitetura Educacional do Building of the Year 2018.

Leia também: Bar feito de lixo é exemplo de criatividade na reciclagem

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: