Dicas de onde hospedar o pet ou levá-lo junto nas viagens

Hoteis e serviços de pet sitter são opções que facilitam muito a vida dos tutores, mas viajar em segurança com os animais também é possível

Por: Publi |

Quem tem um animalzinho de estimação sabe o quanto que tirar alguns dias para uma viagem pode ser difícil. Ao se programar, uma das primeiras preocupações é “o que eu vou fazer com o meu pet?”. O período de férias e feriados prolongados, como o Carnaval, é a época onde o abandono animal se intensifica. Por falta de informações necessárias, muitas famílias não sabem o que fazer com o pet, deixando-o desabrigado.

De acordo com dados da Associação Projeto SalvaCão, essa prática aumenta em até 70% no período de verão, férias escolares, viagens de fim de ano e feriados prolongados, por isso, o mês de dezembro foi escolhido para o combate do abandono de animais.

Felizmente, existem cada vez mais opções viáveis, seja para levar o pet junto na viagem ou para hospedá-lo em segurança e com total confiança. A ideia principal é sempre a de evitar o abandono, que além de crueldade, é atuado como crime ambiental. Antes de tudo, o mais importante é sempre pensar no bem-estar do animal e se ele vai se sentir seguro no local onde você pretende deixá-lo.

Quero deixar meu animal de estimação hospedado, como fazer?

cachorro com pet sitter
Crédito: nensuria/istockHá opções de hoteizinhos para pets e também serviço de pet sitter

A principal opção para a maior parte das famílias, principalmente por conta do deslocamento da viagem, é a hospedagem do animal em hotel ou na casa de pet sitters. Mas, se você pode contar com a solidariedade de vizinhos e amigos, os custos tornam-se menor. “Amigos próximos, vizinhos e até funcionários de condomínios já estão acostumados a promover um revezamento e cuidam dos animais uns dos outros em períodos de viagem”, conta a veterinária Letícia Bustamante, proprietária de clínica veterinária e que hospeda animais em períodos mais curtos, como finais de semana.

Se você não tiver alguém de confiança que possa realizar os cuidados com seu pet, uma vez que a maioria das pessoas viajam nessa época, uma das opções mais viáveis é contratar um serviço. Foi então que surgiu uma nova profissão no mercado, a de pet sitter. O pet sitting consiste em cuidar temporariamente do animal de estimação de outra pessoa por um determinado período. O serviço acontece, geralmente, na casa do proprietário do bichinho.

“Me tornei pet sitter justamente por perceber que os proprietários de cães e gatos queriam um atendimento mais personalizado. Alguns animais não se adaptam aos hotéis, têm medo de outros animais ou precisam de cuidados mais focados. Eu atendo os animais na própria casa deles, faço visitas diárias, em alguns casos até duas ou três vezes ao dia e mantenho uma linha direta com o proprietário através do Whatsapp, com o envio de fotos e vídeos do seu animal”, explica Silvia Maragliano, que atende na grande São Paulo.

O serviço de pet sitting é bastante indicado para gatos que possuem comportamento diferente dos cachorros. No geral, os felinos não gostam de sair de casa, território com o qual já estão habituados. O cuidador ir até a residência oferecer cuidados, carinho e alimentação evita que o bichano se estresse. Outra opção são os tradicionais hoteizinhos específicos para pets.

A tecnologia também atua a favor do bem-estar animal. Aplicativos já conectam quem precisa dos serviços a quem está disponível para os cuidados. Se você optar pelos serviços de aplicativos, uma boa alternativa é buscar recomendações do anfitrião.

Meu pet vai viajar comigo!

gato na caixa de transporte
Crédito: Lightspruch/istockGatinhos não podem ir soltos dentro do carro

Que a melhor opção é ter nosso melhor amigo por perto, nós temos certeza! Porém, é preciso tomar alguns cuidados. Bom, já indicamos que não é uma boa opção levar os gatos em viagens, mas se você realmente precisar transportá-los fique de olho nessas dicas:

•       Verifique se o seu gato usou a caixa de areia e o alimente três horas antes da viagem para prevenir casos de diarreia e vômito.

•        Gatos são mais agitados em carros, então uma caixa de transporte é crucial para eles. Se você ajudar a associar a caixa com um porto seguro, eles não terão um problema em viajar naquele espaço.

•        Uma viagem pode ser extremamente estressante para o bichinho. Tente acostumar o seu gato ao veículo antes de viajar.

•        Um veículo pode ser assustador para o seu gatinho. Seja o mais consistente possível com a velocidade na hora de dirigir.

•         Lembre-se de sempre manter a porta fechada e, se possível, tente investir em uma extensão para cinto de segurança pet.

•        Tente fazer um tempo curto de viagem.

•        Mantenha as janelas fechadas e o ar condicionado ligado para ter uma temperatura confortável para seu pet. (Fonte: Ampara Animal)

Já os cães merecem outros cuidados. “É importante observar as condições de saúde do animal, conversar com o veterinário para saber quais medicações levar caso o animal enjoe ou apresente algum problema decorrente de viagens”, enfatiza a veterinária Letícia.

Dicas para transportar os cães:

•        Paradas estratégicas para o animalzinho fazer xixi e tomar água é superimportante.

•        O pet deve estar com cinto ou numa caixa de transporte que tenha o cinto de segurança em volta.

•        Atenção: infração grave prevista no artigo 235 do Código Brasileiro de Trânsito é transportar animais na parte externa do carro (no caso de caminhonetes) ou com parte do corpo para fora da janela do veículo.

•        Muitos animais enjoam no carro. Converse com o veterinário para saber qual medicação seu cachorro pode tomar e se é preciso jejum.

•        Fique de olho na temperatura interna do carro, animais são sensíveis ao calor. Mantenha o ar condicionado ligado para ter uma temperatura confortável.

As viagens áreas precisam de outros procedimentos.

Homem carregando a mala e o cachorro em caixa de transporte
Crédito: gchutka/istockCheque antecipadamente as regras da empresa aérea

•        Confira as regras de transporte das empresas aéreas antes de comprar a passagem. Cada empresa área tem regras específicas;

•        Confira a documentação de vacinação do seu pet. É necessário apresentar o certificado de vacinação antirrábica para animais de mais de 3 meses de idade, que deverá ser aplicada entre 30 dias até 12 meses antes da viagem. Caso a vacina esteja vencida ou não tenha como comprovar a vacinação, será necessário reaplicar a vacina 30 dias antes do voo.  Importante: todas as vacinas precisam estar em dia com, pelo menos, 30 dias antes da viagem e não apenas a de raiva. Cães, por exemplo, tomam mais vacinas do que os gatos, e dependendo da cidade ou país de destino, certas vacinas podem ser exigidas.

•        Utilize uma caixa de transporte adequada ao tamanho do animal, resistente e bem ventilada. Importante: cada companhia área solicita um tipo de caixa, ou seja, nem todas pedem o mesmo tamanho de caixa de transporte, por isso é bom se certificar com a empresa antes de comprar sua caixa. Isso vale apenas para animais dentro da cabine, com seus tutores. Animais que irão no bagageiro podem e devem ir em uma caixa grande e confortável, mas também é fundamental perguntar os tipos de caixa que a empresa permite para não haver problemas no dia do voo.

•        Faça adaptação do seu pet com a caixa pelo menos 15 dias antes da viagem. Faça-o entrar e sair várias vezes, ofereça petiscos para que ele entenda que a caixa é um lugar agradável;

•        Leve seu pet ao veterinário pelo menos 7 dias antes da viagem para a emissão do atestado de saúde para viagens;

•        Evite o uso de calmantes! Só utilize caso seja uma situação expressa e urgente, além de recomendado pelo veterinário. Importante: nenhuma companhia aérea permite animal levemente sedado! Caso seja necessário, o veterinário deverá prescrever.

•        Dê banho e apare as unhas do pet 1 dia antes da viagem. Ofereça alimentos no dia da viagem até no máximo 2 a 3 horas antes do embarque para evitar enjoos e vômitos. Ofereça água à vontade no aeroporto e antes do embarque;

•        O pet e sua caixa de transporte devem estar sempre devidamente identificados;

•        Utilize tapete higiênico para forrar a caixa de transporte e coloque uma peça de roupa sua dentro da caixa;

•        É fundamental que uma coleira peitoral esteja no animal, também identificada, e que ela esteja presa com uma guia em alguma parte da caixa de transporte, do lado de dentro. Isso serve para evitar a fuga do animal caso a caixa caia dentro do avião e quebre.

•        Passeie com o cachorro antes do voo para que ele possa urinar e defecar;

•        Brinque e faça carinho em seu pet, ajudando ele a relaxar. Evite embarcar muito cedo (isso vale somente se ele não estiver tranquilo no aeroporto).

•        Para a viagem no porão, as caixas de transporte ficarão presas por meio de cintos e cordas. Caso seja na cabine, a caixa de transporte deverá ficar embaixo da poltrona e, o pet, sempre dentro da caixa;

•        Ao desembarcar, o animal que viajar no compartimento de carga será retirado do avião e colocado na área de bagagens. Ele não ficará na esteira. (Fonte: Ampara Animal)

Conheça alguns locais para hospedagem com segurança:

cachorro e gato no sofá
Crédito: Willowpix/istockHá serviços que fazem hospedagem domiciliar de cães e gatos

DogHero

A ideia é que você hospede seu pet no conforto de um lar. O aplicativo permite encontrar anfitriões para seu pet de acordo com uma busca refinada sobre quais itens são importantes para você. O serviço promete que, todos os dias, o seu anfitrião envie fotos e vídeos da hospedagem.

Pet Anjo

Plataforma com hospedagem e serviços de pet sitter. Basta acessar e filtrar o serviço que desejado, na localização que preferir.

Guia Pet Friendly

Site reúne hotéis, pousadas e casas para alugar. Todos que aceitem animais de estimação

Turismo 4 Patas

Plataforma que reúne hospedagens que aceitam pessoas acompanhadas dos seus mascotes. Também faz adaptação de roteiros culturais e atividades de ecoturismo e esportes de aventura para cães como Floating, Rafting, trilhas, caminhadas ecológicas, passeios de barco, boiacross e Stand Up Paddle.

Booking

Um dos tradicionais sites de planejamento de viagens. Na hora de escolher a acomodação é possível escolher a opção “aceita pets” dentro do filtro “comodidade”.

Hotéis Pet Friendly

– Grand Mercure Ibirapuera (São Paulo, SP).

– Novotel Itu (Itu, SP).

– Rede Adagio (consultar no site as condições de hospedagem).

– Pousada Recanto da Serra (Visconde de Mauá, RJ).

– Molise Hotel Fazenda (Serra Negra, SP).

– Hotel Gran Marquise (Fortaleza, CE).

– Hotel Fazenda Bavária (São Lourenço, MG).

– Pousada Taipu de Fora, situada na Praia de Taipu de Fora (Maraú, BA).

-Nadai Confort Hotel e Spa, hotel 4 estrelas (Foz do Iguaçu, PR)

-Pousada da Mata (Anchieta, ES).

Este conteúdo é apoiado pelo Carrefour, que este ano – em parceria com a ONG AMPARA Animal – está programando uma série de ações em prol dos animais em todo o país. Serão mutirões de castração, eventos de adoções em suas lojas, além de treinamento, capacitação e sensibilização dos funcionários e prestadores de serviço da companhia.

Compartilhe: