Coletivo São Mateus homenageia Almir Guineto no Teatro Rival

Por: Redação

O Coletivo São Mateus homenageia o saudoso Almir Guineto em uma apresentação inédita no Teatro Rival. O encontro musical acontece na sexta-feira, dia 15, às 19h30, com entradas que custam a partir de R$30.

Gago Melo
Crédito: Luiz Carlos Fernandes Melo JunioColetivo São Mateus faz show no Teatro Rival Petrobrás

Diretamente da zona leste paulistana, o Coletivo São Mateus é formado músicos do Berço do Samba de São Mateus, Boteco do Timaia e da Batucada do Instituto.

Almir Guineto 

Almir de Souza Serra, mais conhecido como Almir Guineto, nasceu no Morro do Salgueiro, zona norte do Rio de Janeiro, em 12 de junho de 1946. Filho de Iraci de Souza Serra, violonista e integrante do grupo Fina Flor do Samba, sua mãe era Nair de Souza, conhecida como “Dona Fia”, costureira e uma das principais figuras da Acadêmicos do Salgueiro. Seu irmão Francisco de Souza Serra, também conhecido como Chiquinho, foi um dos fundadores do grupo “Originais do Samba”.

Nos anos 1970, Almir já era mestre de bateria e um dos diretores da Salgueiro e fazia parte do grupo de compositores que frequentavam o Cacique de Ramos. Nessa época, Almir inovou o samba ao introduzir o banjo adaptado com um braço de cavaquinho. Embora o instrumento parecesse estranho à formação sonora do samba, Almir Guineto o adaptou à batucada e começou a ganhar destaque nas rodas.

Considerado um dos maiores representantes do samba tradicional, o compositor oficializou em 1980 a fundação de um dos principais grupos de samba do Rio de Janeiro, o Fundo de Quintal. “Caxambu” e “Lama nas Ruas” são algumas das composições do poeta.

+ Samba Rio: 

Compartilhe: