8 sinais precoces de diabetes; saiba identificá-los

Muitas pessoas acabam descobrindo a doença tardiamente, quando as complicações surgem

No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), 15,8 milhões de pessoas têm o diagnóstico de diabetes. Do total, a entidade estima que 50% não sabem que têm o problema. Por isso, conhecer os sinais e sintomas é tão importante. 

O ponto de partida para viver bem com diabetes é um diagnóstico precoce – quanto mais tempo uma pessoa vive com diabetes sem diagnóstico e, portanto, sem tratamento, maiores são as chances de complicações.

O que é diabetes?

Diabetes é uma condição de saúde crônica que afeta a maneira como seu corpo transforma alimentos em energia.

Os alimentos são decompostos em açúcar e liberados na corrente sanguínea, o que sinaliza ao pâncreas para liberar insulina.

Existem dois tipos de diabetes, um em que a pessoa com diabetes não produz insulina suficiente, chamado Tipo 1, e outro em que seu corpo não responde como deveria com insulina, chamado Tipo 2. Ambos podem deixar muito açúcar na corrente sanguínea.

Os sinais e diabetes podem aparecer repentinamente
Créditos: imagepointfr/DepositPhotos
Os sinais e diabetes podem aparecer repentinamente

Sinais de diabetes

  • necessidade de urinar frequentemente
  • sede constante
  • fome constante
  • perda de peso
  • alterações na visão
  • irritação e alterações de humor
  • fadiga
  • ser mais suscetível a infeções nas gengivas e pele

Esses sintomas podem ocorrer repentinamente. Os sintomas do diabetes tipo 2 são geralmente semelhantes aos do diabetes tipo 1, mas geralmente são menos acentuados.

Como resultado, o diagnóstico pode vir vários anos após o início, após as complicações já terem surgido. 

O que pode causar diabetes?

A causa exata da maioria dos tipos de diabetes é desconhecida. Em todos os casos, o açúcar se acumula na corrente sanguínea. Isso ocorre porque o pâncreas não produz insulina suficiente.

Tanto o diabetes tipo 1 quanto o tipo 2 se originar a partir de uma combinação de fatores genéticos ou ambientais. Porém, não está claro quais podem ser esses fatores.

Quais os fatores de risco do diabetes?

Os fatores de risco para diabetes dependem do tipo da doença. O histórico familiar pode desempenhar um papel em todos os tipos. Fatores ambientais podem aumentar o risco de diabetes tipo 1.

Às vezes, familiares de pessoas com diabetes tipo 1 são testados para a presença de células do sistema imunológico do diabetes (autoanticorpos). Se você tem esses autoanticorpos, você tem um risco maior de desenvolver diabetes tipo 1.

Mas nem todos que têm esses autoanticorpos desenvolvem diabetes.

Raça ou etnia também podem aumentar seu risco de desenvolver diabetes tipo 2. Embora não esteja claro o motivo, certas pessoas — incluindo negros, hispânicos, índios americanos e asiáticos americanos — correm maior risco.

Pré-diabetes, diabetes tipo 2 e diabetes gestacional são mais comuns em pessoas com sobrepeso ou obesas.

Quais as possíveis complicações do diabetes?

O diabetes pode levar a uma série de complicações sérias se não for bem controlado.

Entre as complicações mais comuns estão as doenças cardiovasculares, que incluem ataques cardíacos e derrames.

Além disso, o diabetes pode causar danos aos nervos, conhecidos como neuropatia diabética, o que pode resultar em dor, formigamento e perda de sensibilidade nas extremidades, especialmente nos pés.

Em paralelo, problemas renais são frequentes, uma vez que o diabetes pode danificar os rins ao longo do tempo, levando à insuficiência renal.

Problemas oculares, como a retinopatia diabética, também podem ocorrer, potencialmente levando à cegueira.

Para complicar ainda mais, o diabetes pode aumentar o risco de infecções e dificultar a cicatrização de feridas, especialmente nos pés, o que pode levar à necessidade de amputações.

Portanto, o controle rigoroso dos níveis de glicose no sangue, junto com um estilo de vida saudável e acompanhamento médico regular, é essencial para prevenir essas complicações graves.