Cientistas descobrem mecanismo que desliga células de gordura

Ao desligar as célula gordurosas, é possível acelerar a queima calórica, segundo o estudo

Um novo estudo publicado no Journal of Clinical Investigation abriu novas portas para o tratamento da obesidade e doenças metabólicas ao descobrir como desligar células de gordura.

Pesquisadores da UC San Francisco revelaram o papel crítico de uma proteína chamada KLF15.

Em poucas palavras, eles encontraram uma maneira de desligar essa proteína dentro das células de gordura branca. Esse é o tipo de gordura que as pessoas carregam em abundância, que armazena calorias.

Ao desligar o KLF15, a gordura branca se transforma em células de gordura marrom, que queimam calorias.

Pesquisadores descobrem mecanismo que desliga células de gordura
Créditos: Spectral/DepositPhotos
Pesquisadores descobrem mecanismo que desliga células de gordura

Detalhes do estudo

No centro deste estudo está a investigação sobre o tecido adiposo branco e marrom, que são tipos de gordura corporal que funcionam de forma diferente.

O tecido adiposo branco armazena energia, enquanto o tecido adiposo marrom queima energia e gera calor.

Os pesquisadores se concentraram em uma proteína específica, KLF15, que eles suspeitavam ter um papel crucial na manutenção das propriedades das células de gordura branca em depósitos de gordura subcutânea (logo abaixo da pele).

Usando técnicas genéticas avançadas, cientistas desenvolveram modelos de camundongos onde a proteína KLF15 poderia ser seletivamente deletada de certas células de gordura.

Isso permitiu que os pesquisadores observassem o que acontece quando a KLF15 está ausente e como ela afeta o comportamento das células gordurosas sob várias condições.

Os resultados

As descobertas foram bastante reveladoras. Quando o KLF15 foi deletado das células de gordura branca, essas células começaram a mostrar características típicas das células de gordura marrom. Passaram a aumentar a queima de gordura e produzirem calor.

Essa transformação foi particularmente notável no tecido adiposo branco subcutâneo. 

O estudo demonstrou que, sem o KLF15, as células de gordura branca aumentam sua expressão de um receptor específico, que desempenha um papel fundamental nesse processo de conversão.

Além disso, as células transformadas apresentaram maiores taxas metabólicas, indicando que estavam queimando energia mais ativamente, imitando o comportamento das células de gordura marrom.

Esse processo, conhecido como “escurecimento”, tem sido uma área significativa de interesse porque sugere uma possível maneira de aumentar o gasto de energia e a queima de gordura no corpo.

Por que a descoberta é importante?

Ao entender o papel do KLF15, os pesquisadores podem explorar novos tratamentos para obesidade que envolvam alterar a atividade dessa proteína dentro das células.

A capacidade de converter gordura branca em gordura marrom pode revolucionar a forma como tratamos a obesidade, oferecendo um método para queimar mais calorias naturalmente.