Coronavírus: saiba o que a OMS diz sobre o uso de máscaras

Organização internacional reforça que o item não é solução milagrosa e que está estudando a eficiência das máscaras caseiras

Por: Redação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um novo documento em que orienta sobre o uso de máscaras durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo a entidade, as máscaras cirúrgicas devem ser priorizadas pelos profissionais de saúde. Elas também são recomendadas para pessoas que apresentam sintomas e para aquelas que estão cuidando de um paciente com covid-19.

Embora admita que o uso de máscara possa diminuir o risco potencial de transmissão da doença por uma pessoa infectada sem sintomas, a entidade máxima de saúde diz que seu uso universal não se justifica. “Não existe, até ao momento, evidência científica de que usar uma máscara (seja cirúrgica ou de outro tipo) por pessoas saudáveis, possa impedir a infecção por vírus respiratórios, incluindo a covid-19”, diz o documento.

A preocupação da OMS é que – ao adotar as máscaras – as pessoas negligenciem outras medidas essenciais de prevenção, como lavar as mãos, praticar etiqueta respiratória e manter o distanciamento social.

Desvantagens do uso de máscara

Além da falsa sensação de segurança conferida pela máscara, a entidade também ressalta que pode haver outras desvantagens em seu uso por pessoas sem sintomas. Entre os riscos potenciais estão a auto-contaminação, que pode ocorrer quando a pessoa toca e reutiliza uma máscara contaminada.

Além disso, a eficácia das máscaras depende muito da forma como elas são usadas. Quando chegam a ficar úmidas, por exemplo, já não apresentam mais potencial de barreira.

Máscaras caseiras

Sobre o uso de máscaras não médicas, ou seja, caseiras, como as indicadas pelo Ministério da Saúde no Brasil, a OMS informa não ter evidências científicas fortes de que elas desempenhem um papel importante na redução da velocidade de transmissão. Porém, a entidade está colaborando com pesquisas para avaliar a eficácia e eficiência conferidas por elas.

A OMS também recomenda que os governos que sugerem o uso geral de máscaras caseiras devem orientar a população sobre como usá-las, higienizá-las e descartá-las, se for o caso.

mulher usando máscara caseira azul

Além disso, é necessário, de acordo com o documento, que ao fazer uso de máscaras caseiras, as pessoas precisam levar em consideração os seguintes pontos:

  • Números de camadas de tecido/ tipo de tecido
  • Se o material usado permite a respiração adequada
  • Repelência à água/qualidades hidrofóbicas
  • Formato da máscara
  • Ajuste da máscara

Cuidados ao usar a máscara

O guia também traz as práticas corretas no uso de máscaras:

  • Coloque a máscara com cuidado, garantindo que ela cubra a boca nariz e prende-a com segurança para minimizar as lacunas entre o rosto e a máscara
  • Evite tocar na máscara enquanto a estiver usando.
  • Remova a máscara usando a técnica apropriada: não toque na frente da máscara, mas desamarre-a por trás
  • Após a remoção ou sempre que a máscara for inadvertidamente tocada, lave as mãos com água e sabão ou use álcool gel
  • Substitua as máscaras assim que ficarem úmidas por uma nova máscara limpa e seca
  • Não reutilize máscaras de uso único
  • Descarte as máscaras de uso único após cada uso e faça isso imediatamente após a remoção.

Países devem avaliar cenários

Apesar de excluir um cenário em que as máscaras sejam usadas de forma universal, a entidade diz que é necessário que os tomadores de decisão nos países e territórios considerem o nível de vulnerabilidade de seus grupos populacionais, levando em conta o cenário em que a população vive em termos de densidade populacional, de risco de propagação rápida (por exemplo, ambientes fechados, comunidades carentes, acampamentos) e de capacidade de adotar o distanciamento físico (por exemplo, em um ônibus).

Da mesma forma, há que se considerar se a pessoa trabalha em contato próximo com o público, como por exemplo, agente comunitário e caixa de supermercado, e qual o risco de exposição ao vírus.

passageiro usando máscara no ônibus
Crédito: Marcello Casal JrAgência BrasilNecessidade de uso de máscaras pela população em geral deve ser analisada pelos países, segundo OMS

Como acontece a transmissão do novo coronavírus?

O vírus causador da covid-19 pode se propagar de pessoa para pessoa por meio de gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa contaminada tosse ou espirra, por exemplo. A maioria dessas gotículas cai em superfícies e objetos próximos – como mesas ou telefones. Outras pessoas podem se infectar ao tocar nesses locais contaminados, levando suas mãos aos olhos, nariz e boca.

Sintomas da covid-19

Os sinais e sintomas da covid-19 incluem tosse, cansaço, dificuldade para respirar, dor de garganta e febre. É muito semelhante com qualquer outra virose respiratória, como gripe, influenza, resfriado, só que os sintomas tendem a ser mais graves, podendo evoluir para insuficiência respiratória aguda, que é quando o paciente precisa de ajuda de ventilação mecânica.

infográfico sobre o sintomas de covid-19