Doenças respiratórias: pneumologista dá dicas de como evitar

Baixa umidade do ar e aglomeração de pessoas em locais fechados faz com que essas doenças sejam mais comuns no inverno

Por: Redação | Comunicar erro
Tags: #doenca
Homem com lenço de papel assoando o nariz
Doenças respiratórias requerem mais atenção no inverno

Resfriados, sinusite, bronquite, asma, rinite e por aí vai. Basta a chegada do inverno para esses problemas aparecerem ainda com mais força, especialmente para quem já tem doenças respiratórias crônicas.

Entre os fatores que favorecem a transmissão dessas doenças está a aglomeração de pessoas em um mesmo ambiente fechado, o tempo seco – que facilita a entrada de vírus e bactérias vias aéreas – e  a poeira doméstica que é carregada de ácaros e fungos.

A desidratação também é outro agravante. Nos dias frios, as pessoas naturalmente sentem menos sede e diminuem o consumo de água. Com o corpo desidratado, o sistema imunológico fica menos resistente, já que precisa do líquido nas suas reações de defesa.

De acordo com o médico pneumologista Carlos Eduardo Chueiri, nesses momentos vale a clássica orientação das avós: manter uma boa alimentação e uma boa noite de sono, com atenção especial à hidratação. “Estamos na época mais seca do ano e a hidratação é fundamental para manter as defesas das vias aéreas e pulmões funcionando adequadamente”, comenta.

Os grupos mais vulneráveis, como crianças e idosos, devem receber atenção especial nessa época, pois eles têm chances maiores de apresentar complicações como pneumonia e insuficiência respiratória.

Para tirar mais dúvidas sobre o assunto, conversamos com o pneumologista Carlos Eduardo Chueiri sobre a incidência de doenças respiratórias no inverno e como evitar o agravamento delas. Confira:

Por que é mais fácil contrair doenças respiratórias no inverno?

Dr. Carlos Eduardo Chueiri: As condições climáticas e ambientais do inverno por si só já podem aumentar a ocorrência de doenças respiratórias. Especificamente, a temperatura baixa associada ao ar extremamente seco já são fatores irritantes das vias aéreas. Outro fator ambiental que piora no inverno é o aumento da poluição atmosférica. Somado às condições ambientais, o frio faz com que aumente a possibilidade de das pessoas permanecerem aglomeradas em ambientes fechados e pouco ventilados, o que é preponderante para o aumento da transmissão de vírus e bactérias que tem como alvo principal as vias aéreas e os pulmões.

Como as infecções respiratórias se propagam?

Dr. Carlos Eduardo Chueiri: As infecções virais (resfriados e a gripe ou Influenza) se propagam através do ar ou através do contato com secreções entre um paciente doente e um indivíduo sadio. As infecções bacterianas (ex. pneumonia) geralmente estão associadas a uma diminuição nos mecanismos naturais de defesa do pulmão ou a uma queda da imunidade sistêmica do paciente.  Um exemplo, uma gripe com evolução desfavorável pode afetar os mecanismos de defesa  dos pulmões e proporcionar uma pneumonia bacteriana subsequente.

Crianças estão mais suscetíveis a elas? O que os pais podem fazer para se prevenir?

Dr. Carlos Eduardo Chueiri: As crianças menores ainda têm seu sistema imunológico em desenvolvimento o que pode favorecer o aparecimento de quadros de infecção de repetição; contudo o fato de crianças terem um maior contato com outras crianças em ambientes fechados (ex. berçários e escolas) as expõe mais à vírus e bactérias, aumentando a incidência de infecções nesta faixa etária. Nas crianças sem doenças respiratórias (asma e rinite alérgica) ou sistêmicas a prevenção é feita através da vacinação,  sendo muito importante também o acompanhamento do desenvolvimento destas crianças pelos pediatras.  Já as crianças com doenças respiratórias devem redobrar a atenção neste período. Um acompanhamento com pediatra ou com o especialista (pneumologista, alergista ou otorrinolaringologistas, no caso das rinites) possibilita a intervenção precoce e preventiva, caso esta seja necessária, além proporcionar aos pacientes e pais um maior conhecimento de sua doença e dos sinais de alerta da deterioração de seus quadros crônicos. Somadas a as estas recomendações, a clássica orientação das avós: manter uma boa alimentação e uma boa noite de sono, com atenção especial à Hidratação. Estamos na época mais seca do ano e a hidratação é fundamental para manter as defesas das vias aéreas e pulmões funcionando adequadamente.

Quais situações indicam que é necessário ir ao pronto-socorro?

Dr. Carlos Eduardo ChueiriTodo tratamento deve ser individualizado, sendo impossível uma regra geral. Se possível, o contato com o pediatra e/ou especialista que acompanha o paciente define esta situação. Muitos pacientes com doenças crônicas como asma já são educados pelos seus médicos a identificar gatilhos e sinais de piora que indicam o momento de procurar ajuda.

Dicas para evitar doenças respiratórias

Criança fazendo inalação
Inalação ajuda aliviar os sintomas de doenças respiratórias
  • Lave frequentemente as mãos
  • Tenha uma alimentação saudável
  • Evite ambientes fechados com muitas pessoas
  • Mantenha os ambientes de casa limpos, arejados e ventilados
  • Faça mais inalações
  • Beba bastante água, mesmo que não tenha sede
  • Lave e seque agasalhos, mantas e cobertores e deixe-os secar ao sol
  • Use umidificador de ar em casa

Leia também:

Compartilhe: