Exercícios de olfato ajudam a combater principal sintoma da covid-19

Veja como fazer o treinamento de cheiros para recuperar o olfato atingido pela doença

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A perda da capacidade de sentir cheiros é um dos principais sintomas da covid-19. O que a ciência tem percebido ainda sem saber explicar ao certo é que, em muitos casos, essa perda de olfato pode durar meses, mesmo após a pessoa ter se curado. O que ajuda a combater essa sequela é uma série de exercícios, uma espécie de fisioterapia de cheiros.

O site AbScent.org desenvolveu um tutorial destinado para aqueles que ficaram total ou parcialmente sem a capacidade de perceber odores. Esse material já existia antes da pandemia, mas tem sido mais acessado à medida que novos casos de covid-19 aumentam.

O conjunto de técnicas foi demonstrado em mais de uma dúzia de estudos científicos como sendo benéfico para pessoas que perderam o olfato após um vírus ou lesão. “Sabemos que se as pessoas começarem a treinar imediatamente após a eliminação do vírus ou a ocorrência do ferimento, elas podem melhorar suas chances de recuperação”, diz o site.

exercício de olfato
Crédito: Enginakyurt11/istockTreinamento pode devolver olfato de pacientes que tiveram covid-19

O que é o treinamento do olfato?

É uma técnica de suporte que estimula os nervos olfativos responsáveis por nos fazer sentir cheiros. De acordo com Nancy Rawson, bióloga celular do Monell Chemical Senses Center, “o treinamento do olfato é baseado em anos de aprendizado sobre como funcionam os sistemas olfatório e nervoso e, especificamente, como as células nervosas olfativas”.

exercícios de olfato
Crédito: Divulgação/abscent.orgExercícios de olfato para recuperar a capacidade de sentir cheiros

Como fazer o treinamento olfativo?

A reabilitação olfativa consiste basicamente em inalar diferentes odores, concentrando a mente nesses cheiros.

Do que você vai precisar:

Para começar o treinamento olfativo, você precisará de um kit. A sugestão é usar 4 tipos de óleos essenciais: rosa, limão, cravo e eucalipto. Mas você pode escolher outas óleos de acordo com sua preferência.

Também serão necessários algodão, etiquetas adesivas e 4 frascos de vidro âmbar com tampa.

Passo 1

Adicione algumas gotas dos óleos essenciais em pedaços de algodão e coloque cada um em seu frasco. Mantenha os potes fechados na geladeira – eles ficarão mais frescos por mais tempo. Certifique-se de rotular os frascos e as tampas, e tenha cuidado para não misturar a tampa de limão
com o frasco de rosa, por exemplo.

Quando for usar, abra o vidrinho e segure-o perto do nariz. Inspire suavemente por 20 segundos. Durante esse tempo, concentre-se no que está fazendo. Mantenha sua mente no cheiro do limão, por exemplo, ou em um dos outros cheiros do kit. Tente bloquear quaisquer pensamentos intrusos. Esteja o mais atento que puder e tente relembrar como foi sua experiência com o limão.

Passo 2

Feche o frasco após 20 segundos e respire algumas vezes. Em seguida, vá para os próximos cheiros e faça o mesmo procedimento realizado no passo 1.

Esse exercício deve ser feito pelo menos duas vezes ao dia.

O guia de treinamento não recomenda cheirar direto dos frascos dos óleos essenciais, porque eles o pequeno orifício no frasco não oferece uma experiência de olfato muito intensa. Além disso, você
corre o risco de tocar o óleo essencial direto no nariz e isso pode irritar a pele.

Não funciona?

Mesmo que você não sinta o cheiro de nada nos primeiros dias, é importante continuar o treinamento. Segundo os especialistas da AbScent, um nervo olfatório danificado tem uma boa chance de se reparar, e o treinamento do olfato é a maneira de ajudar a fazer isso acontecer mais rapidamente.

Isso ficou provado em ensaios clínicos. Os pacientes que usaram o treinamento olfativo se saíram melhor nas áreas de identificação e discriminação de cheiros do que os pacientes que não fizeram nenhum treinamento.

Tipos de perda de olfato

Perder apenas um pouco do olfato pode afetar na qualidade de vida, resultando, em alguns casos, em isolamento e até problemas emocionais, como a depressão, segundo estudos.

Dentro desse problema há diferentes tipos de alteração do olfato. Veja a seguir:

Anosmia:  é uma ausência completa do olfato. É ainda definido como adquirido ou congênito, dependendo de você ter ou não olfato ao nascer.

Hiposmia:  é um olfato reduzido.

Parosmia:  é um olfato distorcido.

Fantosmia: é quando você sente cheiros que não existem

O olfato também pode afetar a percepção do sabor. Muitas pessoas confundem a perda do olfato com a perda do paladar (ageusia); entretanto, os distúrbios do paladar são muito mais raros do que a perda da capacidade de sentir cheiros.

Compartilhe: