Felipe Neto ajuda a entender depressão de Whindersson Nunes

Por: Redação | Comunicar erro

O desabafo de Whindersson Nunes de que já não tem “tanta vontade de viver” e seus longos períodos de tristeza indicam sintomas de depressão.

Ele pediu desculpas ao dizer que, nesse momento, não sente “tanta vontade de viver”. “Nunca quis tirar a minha vida, nunca, nunca. Me perdoe por dizer isso, por favor, não me entenda mal.”

E conclui: “Eu quero fazer terapia, eu quero ajuda e quero viver. Conhecer tudo que essa terra tem e contar pra vocês, no palco.”

São sintomas que devem ser tratados com urgência antes de provocarem danos ainda maiores.

Quem ajuda a entender essa doença é Felipe Neto, que sofre de depressão, como mostramos neste vídeo.

É normal sentir-se para baixo vez ou outra, mas depressão é mais que isso, é uma doença mental que causa alterações químicas no cérebro, provocando baixa da auto-estima, sentimentos de culpa e de fracasso. Pessoas que passaram por eventos adversos durante a vida (desemprego, luto, trauma psicológico) são mais propensas a desenvolver a doença.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão atinge hoje 300 milhões de pessoas em todo o mudo e pode se tornar a doença mais incapacitante até 2020.

Os sintomas da depressão nem sempre são tão óbvios quanto o choro frequente e o desespero. Muitas vezes as mudanças são sutis, e a pessoa pode não notar, mas seus amigos e entes queridos geralmente percebem algo diferente.

ilustração mostra um homem com um guarda-chuva sozinho
Crédito: kevinhillillustration/istockIsolamento social é uma das características da depressão

Por não ter um padrão único, os sintomas da depressão podem progredir gradualmente desde o leve, como evitar atividades sociais, até os mais graves, como pensamento suicida. A progressão varia de pessoa para pessoa.

Confira abaixo alguns sinais que ajudam a reconhecer a depressão. Esses sintomas podem ser isolados ou somatizados:

1. Tristeza profunda

A depressão é uma tristeza profunda e muitas vezes, sem motivo aparente. Mesmo se algo maravilhoso acontecer ou estiver acontecendo, a pessoa continuará triste. Quem sofre de depressão, costuma sentir por, pelo menos, duas semanas uma tristeza contínua e tem pensamentos repetitivos sobre a razão da tristeza.

2. Problemas de sono

Algumas pessoas que sofrem de depressão costumam ter insônia, acordando de madrugada e com dificuldades de adormecer novamente. Por outro lado, outras já não sentem vontade de sair da cama e dormem por longos períodos durante o dia.

3. Perda de interesse em atividades favoritas

O desinteresse por atividades antes prazerosas é outro indicativo frequente da depressão. Geralmente, os pacientes com depressão preferem ficar em casa do que fazer qualquer outra atividade.

4. Mudança no apetite

ilustração de uma mulher sentada na mesa com o prato vazio
Crédito: jklr/istockDepressão pode afetar o apetite

Algumas pessoas comem demais quando estão deprimidas ou ansiosas, mas em pessoas com depressão severa, o oposto é mais comum. Elas podem deixar de de comer porque não estão mais preocupadas com o bem-estar físico.

5. Insegurança

É comum também haver sintomas emocionais, como medo, insegurança, desesperança, desespero, negativismo, desamparo e frustração.  Algumas vezes, esses sentimentos acabam se manifestando no corpo como dor física e tensão, o que é chamado de somatização.

6. Cansaço

Com a queda dos neurotransmissores – uma característica da depressão – pode haver sensação de cansaço, fraqueza e falta de ânimo.

7. Irritabilidade

Outros sinais de depressão frequentemente ignorados são raiva e irritabilidade, mais frequentemente apresentadas por homens. Muitas vezes, no entanto, eles acreditam que essas emoções sejam apenas efeito do estresse ou do cansaço.

8. Pensamentos de morte

Pessoas com depressão podem apresentar desejos de morrer e ter pensamentos suicidas.

Qualquer que seja o nível de depressão é imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado, que pode ser feito de duas maneiras: isolada ou combinada. A primeira delas é a psicoterapia, que irá tratar das causas. A segunda é tomando antidepressivos que ajudam a normalizar a atividade cerebral.  Veja aqui outras formas que ajudam a amenizar os sintomas de depressão.

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias. A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, é gratuita a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular. Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat.

arte com o telefone do CVV 188
Crédito: Lucas Rodrigues/Catraca LivreLigação é gratuita em todo o país

Compartilhe:

Tags: #News
1 / 8
1
02:27
Escolhas que trazem longevidade
Se você pudesse escolher viver até os 100 anos, o que você faria? O Dr. João Paulo Nogueira, médico e fundador …
2
02:11
É importante tomar a vacina da hepatite?
O que é hepatite? e qual a importância em se vacinar contra esta doença? O Dr. Gonzalo Vecina, médico e fundador …
3
02:10
Como cuidar da saúde dos olhos
A saúde dos olhos depende de algum fator específico? A história de que comer cenoura faz bem para a visão, …
4
02:15
Os 3 níveis de estresse infantil
Quais são os níveis de estresses que uma criança pode ter? Como eles são classificados? A Dra. Ana Escobar, pediatra e …
5
06:25
O que você precisa saber sobre o HPV?
Quais os sinais que indicam o HPV? E como se prevenir deste vírus? A Dra. Marianne Pinotti, ginecologista e obstetra, fala …
6
03:04
O que fazer para ter uma boa velhice?
Quais hábitos podemos ter para chegarmos bem a terceira idade? O Dr. João Nogueira, médico e fundador do Horas da Vida, …
7
02:29
A relação da diabetes com a visão
Qual a relação da diabetes com a visão? Existe algum sintoma na região ocular que indica diabetes? O Dr. Julio Abucham, …
8
03:46
Alimentação infantil e o exagero da informação
Açúcar, sal, carne, são mesmo vilões para as crianças? Hoje, a Dra. Ana Escobar, pediatra e embaixadora do Horas da Vida, …