Slime feito em casa pode ser perigoso para saúde das crianças

Em contato com a pele, a massinha caseira pode causar feridas vermelhas, ardência e até dermatite

Por: Redação
Criança com duas gelecas na mão
Crédito: OryGonian/istockSlime caseiro pode representar riscos à saúde

Inúmeros tutoriais no YouTube ensinam a fazer em casa a famosa geleca ou slime, aquela massa grudenta que é febre entre as crianças. A brincadeira divertida, no entanto, pode trazer sérios riscos à saúde, como alergias e até queimaduras.

O perigo está na mistura de ingredientes químicos, como o bórax (borato de sódio), água boricada e cola branca. O bórax é a matéria-prima de alguns produtos de limpeza, como sabão em pó para máquina de lavar, inseticidas e outros. Para ter uma ideia do potencial de risco do bórax, a ANVISA o avalia como classe toxicológica II, isto é, altamente tóxico.

A Sociedade Brasileira de Pediatria já alertou para os riscos da substância. De acordo com a entidade, o manuseio do bórax pode gerar intoxicação.

Além disso, o composto químico – em contato com a pele – pode causar feridas vermelhas, ardência e até dermatite de contato, uma reação que se assemelha a uma queimadura.  Quando usado em quantidade acima do recomendado, o bórax também provoca vômito, diarreia e irritações nos olhos.

A água boricada, apesar de ter uso medicinal por conta de sua ação antisséptica contra bactérias e fungos, também pode causar danos dependendo das condições de uso. Os riscos maiores são de irritação da pele, da via respiratória e dano pulmonar.

Outros ingredientes usados, como bicabornato de sódio, espuma de barbear, detergente, amaciantes de roupas e a própria cola branca também são produtos que em contato direto com a pele por um tempo prolongado representam riscos de irritações, especialmente em peles sensíveis.

Segundo a Proteste, os slimes industrializados, que recebem o selo do Inmetro, são testadas, aprovadas e, portanto, mais seguras para as crianças.

Compartilhe: