Gonorreia: causa, sintomas e tratamento

A gonorreia tem cura, mas a OMS alerta para a resistência que a bactéria tem criado aos antibióticos

Por: Redação

Assim como o HIV e o HPV, a gonorreia é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), ou seja, uma doença que pode ser transmitida em relações sexuais, seja ela vaginal ou anal, ou sexo oral.

Essa infecção é uma das que mais tem crescido no Brasil e no mundo. Além disso, em 2017 a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou para como a bactéria Neisseria gonorrhoeae está se tornando cada vez mais resistente à antibióticos.

homem cobrindo sua genitália com ambas as mãos
Crédito: IStock/@Diy13Gonorreia é uma das infecções mais comuns no Brasil e no mundo – e isso está se tornando perigoso!

A bactéria infecta principalmente a uretra, mas também pode afetar o revestimento do colo do útero. A prática de sexo anal e oral pode levá-la ainda para a região do reto e da garganta. Às vezes, até a córnea pode ser acometida.

Como a gonorreia se manifesta

Na maioria dos casos, a gonorreia passa despercebida porque seus sintomas podem ser confundidos com outras infecções.

  • Sintomas da gonorreia no homem

No pênis, os sinais mais comuns da gonorreia são dor e ardência ao urinar, secreção abundante de pus pela uretra, dor ou inchaço em um dos testículos

  • Sintomas de gonorreia na mulher

Na vagina, os sintomas são o aumento no corrimento vaginal, que passa a ter cor amarelada e odor desagradável, dor e ardência ao urinar, sangramento fora do período menstrual, dores abdominais e pélvica.

mulher com dor na região pélvica causada pela gonorreia
Crédito: IStock/@Pornpak KhunatornA gonorreia afeta tanto homens quanto mulheres e os sinais podem ser confundidos com outras infecções

Mas a gonorreia também pode surgir em outras partes do corpo. No reto, os sintomas comuns da gonorreia são coceira, secreção de pus e sangramentos; nos olhos, dor, sensibilidade à luz e secreção de pus em um ou nos dois olhos; na garganta, dor e dificuldade em engolir, presença de placas amareladas na garganta.

Se a bactéria afetar alguma articulação do corpo, esta pode ficar quente, vermelha, inchada e muito dolorida.

Diagnóstico

As primeiras manifestações da doença varia de 24 horas a 14 dias após a relação sexual desprotegida.

A qualquer sinal ou sintoma, é recomendado que se procure um serviço de saúde para o diagnóstico correto e indicação do tratamento com antibiótico adequado.

Uma das maneiras de fazer o diagnóstico clínico da doença é verificar quanto tempo depois da relação sexual apareceu a lesão, se a secreção lembra pus e está manchando as roupas íntimas.

Mas a comprovação é feita por meio de exames laboratoriais específicos que analisam a secreção. É um exame rápido barato e indolor. Em 15 minutos o resultado fica pronto.

Caso seja comprovada a infecção, é necessário fazer exames relacionados a outras infecções sexualmente transmissíveis, incluindo clamídia, sífilis, hepatite B e HIV.

ilustração 3D de gonorreia em um homem
Crédito: IStock/@Dr_MicrobeO diagnóstico da gonorreia é feito através de coleta e análise da secreção da uretra

Mulheres com mais de 21 anos podem também aproveitar e se vacinar contra o HPV.

Como se trata gonorreia?

Por se tratar de uma doença bacteriana, o tratamento da gonorreia pode ser feito por meio de antibióticos.

Responsabilidade

Quando se trata um Infecção Sexualmente Transmissível, há dois objetivos: curar a infecção do indivíduo e interromper a cadeia de transmissão da doença.

Por isso, é importante localizar e examinar todos os contatos sexuais do indivíduo infectado para tratá-los.

homem sentado na beirada da cama em posição pensativa
Crédito: IStock/@beconSeja responsável: se você foi diagnosticado com gonorreia, procure seus parceiros sexuais e avise-os!

Então, se você foi diagnosticado com gonorreia, fique atento: todos os seus parceiros sexuais dos últimos 60 dias devem ser contatados e examinados para evitar futuras transmissões da doença.

Risco maior para HIV

Ter gonorreia ou qualquer outra IST torna a pessoa mais suscetível ao contágio do HIV.

Como prevenir gonorreia

Usar camisinha em suas relações sexuais é o melhor método para se prevenir gonorreia e outras IST.

Se possível, evite ter relações sexuais com pessoas diagnosticadas com gonorreia até que estejam completamente tratadas.

Compartilhe: