Últimas notícias:

Loading...

Reação de bailarina com Alzheimer ao ouvir ‘Lago dos Cisnes’ emociona

Marta C. González foi a principal dançarina do Ballet de Nova York na década de 1960 e o vídeo dela ouvindo Tchaikovsky viralizou na web

Por: Redação

O vídeo com a reação de uma bailarina com Alzheimer ouvindo o tema de ‘Lago dos Cisnes’ tem emocionado o mundo. As imagens mostram da espanhola Marta C. González, que sofria com a doença. Ela foi a principal dançarina do Ballet de Nova York, na década de 1960 e estava em um lar para idosos quando um integrante da ONG Música Para Despertar colocou Tchaikovsky para ela ouvir. A organização promove o uso da música como terapia contra doenças.

bailarina espanhola alzheimer
Crédito: Reprodução/YoutubeReação de bailarina com Alzheimer ao ouvir ‘Lago dos Cisnes’ emociona

O vídeo não é novo. A bailarina não é mais viva. As imagens foram gravadas há cerca de um ano e foram republicadas, agora, para relembrar o aniversário de morte da grande artista.

A cena é emocionante. A bailarina começou a dançar em sua cadeira de rodas ao relembrar os passos da coreografia que dançou em 1967, quando foi a protagonista da peça ‘Lago dos Cisnes’ . No vídeo, imagens da época foram resgatadas e inseridas entre aparições dela.

O diretor da fundação, Pepe Olmedo, disse em entrevista a um site espanhol que se surpreendeu com a reação da idosa. “Fomos dar um treinamento naquela residência e conhecemos a Marta. Foi algo absolutamente impressionante”, disse.

O vídeo da bailarina relembrando a coreografia que dançou ao interpretar o ‘Lago dos Cisnes’ viralizou e até Antonio Banderas compartilhou as imagens. “Que essas imagens sirvam como um reconhecimento de sua arte e de sua paixão”, escreveu o ator.

Veja o vídeo:

Mantenha a mente ativa: 5 passos para prevenir o Alzheimer

A doença acontece pela atrofia lenta e progressiva do cérebro, causando demência e perda da memória. É ocasionada por dois tipos de dano neuronal: acúmulo de proteína beta-amiloide e emaranhado de proteína tau no cérebro.

Sabe-se que tem influência genética, porém não é um atestado que o indivíduo desenvolverá a doença. Como combater? Práticas diárias e estilo de vida podem ajudar no combate e desenvolvimento da patologia.

É fato que não há cura e que os medicamentos existentes ajudam a preservar o que restou da capacidade cognitiva, todavia alguns estudos provaram que boa alimentação, exercícios físicos, e novos conhecimentos, como aprender um novo idioma, podem ser uma boa trinca para as pessoas de todo o mundo minimizarem as chances de contraírem a enfermidade.

Para ajudar indivíduos a manter a mente ativa, mudar alguns hábitos e minimizar as chances do aparecimento precoce do Mal deAlzheimer, o psicólogo da Minds Idioma, Augusto Jimenez, cita 5 mudanças para a sua rotina:

  • Monte quebra-cabeças

Um estudo publicado na revista Archives of Neurology mostrou que quem tem o hábito de montar quebra-cabeças têm menos presença da beta-amilóide em seus cérebros, proteína responsável pelo Mal de Alzheimer.

Para saber mais, clique aqui.

Compartilhe:

?>