Terapeuta trata depressão com abraços e ganha R$ 240 por sessão

Australiana diz que o abraço é capaz de dissipar a ansiedade e a tensão das pessoas

Por: Redação
Jessica de braços cruzados
Crédito: Reprodução/FacebookTerapeuta cobra R$ 240 para tratar depressão com abraços

Jessica O’Nell passou uma década trabalhando como massoterapeuta antes de seguir para uma nova profissão que usa o carinho como uma modalidade terapêutica. A australiana virou abraçadora profissional e hoje cobra R$240 por hora tratando depressão com abraços.

Em sua página no Facebook, ela divulga detalhes da terapia incomum. Segundo ela, a ideia é ajudar as pessoas solitárias e aquelas que sofrem de depressão a se sentirem amadas e valorizadas.

“Eu sempre fui uma pessoa muito carinhosa e sempre acarinhei as pessoas. É apenas da minha natureza e faz parte de quem eu sou”, disse ela ao jornal The Sun. “Minha mãe sempre foi muito amorosa quando eu era jovem. Seus abraços sempre me deixavam bem mesmo que houvesse coisas ruins acontecendo ao nosso redor”.

jessica abracando uma criança
Crédito: Reprodução/FacebookJessica acredita que abraços fazem as pessoas se sentirem valorizadas

Jessica começou a terapia de abraços há pouco mais de seis meses quando percebeu que ao abraçar seus clientes durante a sessão de aconselhamento, conseguia quebrar o gelo e fazer com que eles se abrissem mais. “Eu via sua ansiedade e tensão se dissipando. Então eu poderia chegar ao núcleo de sua persona e fazer o possível para curá-los”, explicou.

Para os clientes que querem desabafar, Jessica também faz aconselhamento psicológico. Alguns clientes são viciados em sexo e pornografia e buscam nos abraços ter uma “visão mais saudável” do próprio corpo. Segundo ela, raramente, um cliente confunde as coisas e avança o sinal. Ela também garante que seu marido Jason, de 34 anos, não se importa com sua profissão – apesar de a maioria de seus clientes serem homens.

O número de clientes do sexo feminino tem crescido, de acordo com ela. São mulheres de meia-idade, em sua maioria, que assim como os homens experimentam solidão na era digital.

Como é realizada a terapia do abraço

A terapeuta explica que antes de iniciar as sessões, ela e os clientes fazem meditação para se conectarem em um nível espiritual. Em seguida, o cliente se senta em uma cadeira e eles conversam um pouco sobre o que ele espera da terapia de abraços.

“Todo mundo tem uma história totalmente diferente. Mas os fatores mais comuns são solidão, depressão, isolamento e ansiedade. Todos eles têm esse desejo de se conectar com alguém”, conta ela.  “Eu ouvi pela primeira vez sobre terapia de abraços há seis anos e me lembro de dizer a todos que isso é o que eu queria fazer. É muito mais gratificante do que apenas massagem ou aconselhamento. Eu sinto que é para isso que eu fui colocada nesta Terra”, conclui a terapeuta.

Compartilhe: