Brasileiros terão que pagar taxa para entrar na Europa

Com validade de três anos, documento eletrônico custará R$ 32

Por: Redação

Com planos de viajar para Europa? Então é bom ficar atento! É que o Parlamento e a Comissão Europeia aprovaram a criação de uma taxa de € 7 (R$ 31,80) para turistas de países que não precisam de visto para entrar na União Europeia, como o Brasil.

A proposta de criação do Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (Etias, na sigla em inglês) deve ser referendada em plenário pelo Parlamento nesta quinta-feira, 5. Ainda não há definição sobre a data de início do sistema, mas será a partir de 2021.

Crédito: Getty Images/iStockphotoTuristas brasileiros terão que pagar taxa e fazer cadastro pela internet para visitar a Europa

O Etias é destinado a visitantes de países que não precisam de visto para a zona Schengen –tratado de livre circulação de pessoas composto por 26 países que fazem parte da União Europeia. Atualmente, cidadãos de 62 países não pertencentes ao espaço Schengen, inclusive do Brasil, podem entrar na UE sem visto por até 90 dias. Estima-se que 39 milhões de visitantes isentos de visto vão a países da Europa em 2020.

Pela internet

A ponte Carlos, um dos cartões-postais de Praga, na República Tcheca
Crédito: IStockA ponte Carlos, um dos cartões-postais de Praga, na República Tcheca; país é um dos 26 que integram o Espaço Schengen

Todo o processo será eletrônico. Para obter a autorização, o turista terá que fornecer dados pessoais como o nome, o tipo de documento de viagem, os dados biométricos (uma combinação de quatro impressões digitais e a imagem facial) e data e local de entrada e de saída e possíveis recusas de entrada.

Serão também feitas uma série de perguntas básicas relacionadas com os antecedentes criminais e a presença em zonas de conflito.

A autorização custará € 7 e será válida durante três anos, sendo gratuita para os menores de 18 e para os maiores de 70 anos. Os brasileiros que possuem passaportes de países europeus não vão precisar da autorização.

Além do uso para fins comerciais e de turismo, o novo sistema permitirá que as pessoas visitem os países da UE por motivos médicos e de trânsito.

Com informações da Folha e da Agência Brasil

Compartilhe:

Tags:#Viagem