É coragem que falta para ir atrás do seu sonho?

As desculpas que damos para não correr atrás dos nossos sonhos são prisões que existem apenas dentro das nossas cabeças

Por: Livre Partida

Invariavelmente, quando as pessoas ficam sabendo da viagem que fiz com meu parceiro, Plácido Salles, quando largamos tudo para viver uma aventura de carro pelo mundo, nos cumprimentam e dizem que somos corajosos. Mas, será mesmo que é só a coragem que falta quando falamos de ir atrás de um grande sonho?

A maior parte dos seres humanos sente-se paralisada quando confrontada com a possibilidade de uma grande mudança de vida, mesmo que esta seja a realização de um sonho antigo. A verdade é que sair da zona de conforto é apavorante e grandes projetos acabam sendo mais bonitos quando observados em uma prateleira, de preferência bem alta.

Crédito: Arquivo pessoal Mariana Beluco observando a paisagem em Tirana, capital da Albânia

Mas, já parou para pensar que decidir seguir na direção desse sonho significa apenas assumir responsabilidades diferentes? Manter-se na inércia e deixá-lo de lado é, igualmente, uma decisão e ela também tem consequências. Então, colocando na balança, por que não assumir aquelas que nos levarão para um lugar onde queremos ir?

Todas as desculpas que, diariamente, damos para explicar o motivo de estarmos adiando grandes planos ao longo da vida caem por água abaixo ao assumirmos isso. Essas prisões existem apenas dentro da nossa cabeça e optar por sair detrás dessas grades significa assumir as consequências do que essa escolha implicará. No entanto, optar por ficar na prisão não nos exime de responsabilidade e, na minha opinião, é muito mais angustiante. Aquela velha história: “do que você quer se lembrar quando chegar ao fim da sua vida?”.

Pense: se você tivesse todas as condições favoráveis neste exato momento – dinheiro, um companheiro, saúde ou o que quer que fosse necessário – você largaria tudo hoje para viver o seu grande sonho?

Se a resposta foi não, pense novamente: há quanto tempo você está esperando o momento certo para realizar o que deseja? Um ano, dois anos, uma década, a vida toda…

Como alguém que batalhou para construir um sonho, partindo do zero, e teve sucesso, posso afirmar que o momento certo não existe. A tão falada coragem consiste apenas em enxergar que as condições nunca serão ideais e que a única coisa que falta é a tomada de decisão, apesar de todos os “poréns”.

Por isso, em época de novas promessas para o ano que vem chegando, minha única dica é que você encontre seu velho sonho adormecido, tire dele a poeira que foi acumulando-se ao longo de anos de esquecimento, dê uma encerada para que ele fique lindo e brilhante novamente e, finalmente, decida correr atrás dele! Não com o que ainda falta para você chegar lá, mas com o que você tem hoje. Essa será a ocasião mágica da sua vida e, em 2020, você acordará todas as manhãs com brilho nos olhos para viver.

Por Mariana Beluco

Junto com seu parceiro, Plácido Salles, já passou por mais de 60 países; publicou o livro Livre Partida: causos e contos de uma viagem pelo mundo; ministra cursos e palestras sobre viagens e vive uma grande aventura pelo Brasil através do seu projeto, Livre Partida.

Por: Livre Partida

Somos Plácido Salles e Mariana Beluco, nômades viajantes desde 2015!Compartilhamos aqui o nosso cotidiano de viagens, dicas e conhecimentos importantes para quem tem o sonho de fazer uma grande viagem. Passamos por 57 países durante a primeira expedição e agora estamos vivendo uma grande aventura de carro pelo Brasil. Temos um livro publicado e ministramos cursos e palestras sobre o tema. Bora viajar junto!

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário livrepartida da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.