EM ALTA

Estados Unidos mantêm restrição de entrada a turistas brasileiros

A restrição de entrada de passageiros vindos do Brasil foi imposta em 24 de maio

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Os Estados Unidos decidiram manter a restrição de entrada de passageiros provenientes do Brasil. Durante a semana especulou-se que o governo americano iria revogar a medida na próxima segunda-feira, 14, mas comunicado divulgado hoje acabou com as especulações.

Em nota, a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil explica o que foi revogado é o fim da obrigatoriedade dos voos originados de alguns países, como China e Brasil, além da Europa, serem direcionados a um dos 15 aeroportos americanos onde havia centros de triagem contra à covid-19.

Crédito: Josh Denmark/ US Customs and Border ProtectionOs turistas brasileiros estão proibidos de entrar nos EUA desde maio

Ainda de acordo com a nota agora, os voos vindos desses países podem aterrissar em qualquer aeroporto americano e os passageiros não passarão mais pela inspeção rigorosa de saúde.

Essa flexibilização deve apenas facilitar a entrada de passageiros que já são exceção às regras do governo americano e podem entrar no país apesar das limitações de viagem, caso de residentes permanentes e portadores de tipos específicos de vistos diplomáticos.

Leia abaixo a íntegra da nota da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil:

“A nota emitida pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), no dia 9 de setembro, e a nova regulação do Departamento de Segurança Nacional dos EUA (DHS), prevista para publicação no registro federal dos EUA no dia 14 de setembro, visam adotar uma nova abordagem para manter e proteger a saúde dos passageiros internacionais e dos norte-americanos. A nota do CDC e a publicação do DHS não alteram quem é permitido entrar nos EUA sob proclamação presidencial.

As novas medidas serão implementadas no dia 14 de setembro de 2020 e incluirão, entre elas, a interrupção de triagem de saúde aos que chegam de certos países, incluindo o Brasil. O CDC continua recomendando que os viajantes internacionais entrem em quarentena por 14 dias quando viajam de áreas de alto risco.

A partir dessa data, o governo dos EUA removerá os requisitos para direcionar todos os voos que transportam passageiros de companhias aéreas que chegam ou recentemente tiveram presença em alguns países, incluindo o Brasil, para pousar em um dos 15 aeroportos designados.

Em maio de 2020, o presidente Trump proclamou uma restrição de entrada para estrangeiros que estiveram no Brasil por 14 dias antes de entrar nos EUA. Essa restrição não se aplica a cidadãos norte-americanos, residentes permanentes legais (portadores de green card), familiares imediatos de cidadãos norte-americanos e residentes permanentes legais e categorias específicas.”