Publicidade

Informar

Jujuy, uma obra de arte no norte da Argentina

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

Apesar de ser um destino ainda pouco conhecido dos brasileiros, Jujuy, no norte da Argentina, vem chamado a atenção de turistas de todos os lugares do mundo, por unir belezas naturais inacreditáveis a uma riqueza cultural inquestionável.

A região, que faz fronteira com Chile e Bolívia, oferece uma experiência sublime ao apresentar tradições andinas e uma cultura única em meio a cenários inesquecíveis, compostos por montanhas multicoloridas cortadas por rios cristalinos, bem perto de um deserto de sal.

Paisagens formadas por montanhas coloridas, deserto de sal, rios de águas límpidas e céu azul remontam a cenários dignos de pintura em Jujuy

San Salvador de Jujuy é a capital e, portanto, o centro econômico e cultural da região e onde se tem os primeiros contatos com a cultura local, marcada pela influência de diversas etnias indígenas e que pode ser notada desde a música até a gastronomia, que privilegia ingredientes da terra como milho, batatas e quinoa, entre outros.

 Mas, saindo da capital é que se encontram as mais belas –e estonteantes– paisagens que a província tem a oferecer. As montanhas multicoloridas começam a aparecer no caminho até Purmamarca, povoado cercado pelo majestosa Cerro de Los Siete Colores, que, como diz o nome, em diversos pontos é pintada por amarelo, laranja, vermelho, verde, marrom, lilás e violeta, o que mostra um pouco da história da formação geológica do lugar.

Crédito: Getty ImagesCerro de los Siete Colores é um dos morros que cercam a Quebrada de Purmamarca, na província de Jujuy

 Também perto de San Salvador –a cerca de 85 quilômetros– está Tilcara, um pequeno povoado de terra batida que também tem seu entorno desenhado por montanhas e que conta com fauna e flora marcantes,  destacadas por cactos, acácias, raposas e guanacos. Ali também é um reduto importante de artistas, artesãos, músicos e poetas e abriga uma ampla diversidade de restaurantes, bares e lojinhas.

Declarada Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela Unesco, a Quebrada de Humahuaca se destaca como um dos principais pontos turísticos de Jujuy. Trata-se de um lugar mágico, onde diversas montanhas coloridas emolduram um vale e se conectam por estradas construídas no período inca. Por ali, diversas atividades são possíveis,  desde caminhadas até passeios a cavalo ou de bike para explorar tamanha riqueza cultural, natural e histórica.

Crédito: Getty Images/iStockphotoArtesanato típico de Humahuaca, no norte da Argentina

Por fim, mas não menos importante, as Salinas Grandes chamam a atenção de todos que passam por esta região argentina. As cores dão espaço ao branco dos mais de 10 mil m² de crosta de sal que tomam conta das paisagens e que servem de lar para alguns animais, como é o caso das simpáticas lhamas. Por ali passa a Rota 52, estrada que liga a Argentina ao Deserto do Atacama, no Chile, o que viabiliza viagens casadas para estes dois belos e deslumbrantes destinos.

Voos diretos

 Para colocar Jujuy na rota dos turistas brasileiros, a companhia aérea Aerolíneas Argentinas, anunciou que entre janeiro e fevereiro de 2018 oferecerá voos diretos ligando São Paulo e Jujuy em um Boeing 737-800.

 Este é um projeto piloto oferecido apenas para parceiros –que inclui a Visual Turismo– que analisará as possibilidades de incluir esta rota frequente como um voo regular da companhia aérea futuramente.

 Quem leva

 Para Jujuy, a Visual Turismo conta com três opções de roteiros. No primeiro, “Viva Jujuy”, que tem valores a partir deu US$ 951 por pessoa, a província é o destino exclusivo. São três noites de hospedagem em Purmamarca e uma em Tilcara com café da manhã e passeios que incluem a capital San Salvador de Jujuy, visita às ruínas de Tilcara, Quebrada de Humahuaca e Salinas Grandes e trekking em Los Colorados e Cerro de los Siete Colores, entre outros.

Mas, para quem se interessa por conhecer mais de um lugar na mesma viagem, há rotas casadas com outros destinos. Dentro da Argentina, o roteiro “Argentina Andina” inclui duas noites de hospedagem na colonial Salta e uma na pequena vila de Cafayate conhecida pela produção de bons vinhos, além das duas noites em Purmamarca e duas em Tilcara. Para esta viagem há valores a partir de US$ 1.470 por pessoa e inclui café da manhã diário, passeios em Jujuy, Salta e visita às vinícolas em Cafayate.

Já o “Salinas e Desertos Argentina e Chile”, como diz o nome, mescla passeios pelos dois países, passando por Jujuy, Salta e o místico Deserto do Atacama. São sete noites de hospedagem entre Tilcara (1), Purmamarca (2), Salta (1) e San Pedro de Atacama (3) com café da manhã diário e passeios em todos os destinos. Para esta viagem há valores a partir de US$ 3.439 por pessoa.

Os valores incluem apenas a parte terrestre e são válidos até o dia 17 de dezembro de 2017. Todos os roteiros contam com traslados de chegada e saída e os valores podem ser parcelados em até 10 vezes. 

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade