Tradições de casamentos ao redor do mundo

O amor é universal, mas as cerimônias para dizer o sim incluem as mais diferentes tradições possíveis. Cada cultura tem sua própria maneira de tornar esse momento ainda mais especial. São ideias bacanas para incorporar na cerimônia, repletas de simbologia desejando prosperidade ao casal. Como são costumes estrangeiros, lembre-se de escrever um cartão ou explicar aos convidados o que o ato representa, assim todos os presentes podem se unir no momento de desejar os votos de felicidade aos cônjuges.

Tradição dos pombos nas Filipinas

Nas Filipinas, os noivos soltam dois pombos (treinados) no ar, um macho e uma fêmea, em um gesto que representa uma vida conjugal harmoniosa, pacífica e duradoura. O ato normalmente acontece após a finalização do banquete, por questões de higiene. A noiva retira da gaiola a pomba, o noivo faz o mesmo com o macho e os dois aproximam as aves para que toquem os bicos, simulando um beijo. Juntos, então, soltam os pássaros para o alto, em um gesto de esperança para que traga felicidade ao marido e mulher.

Dança do dinheiro na Polônia

Esta é a versão polonesa do nosso “passar a gravata”. Segundo a tradição, os convidados são chamados a comprar danças com a noiva durante a recepção, geralmente ao som da polka, a dança típica local, e as madrinhas vão coletando o dinheiro que será usado pelo casal na lua de mel. Forma-se um círculo ao redor da pista e, enquanto a noiva dança, os outros balançam lenços brancos como se estivessem salpicando boa sorte aos noivos. Quando ela percorreu toda a roda, o círculo se fecha e o noivo tenta furar o bloqueio para chegar até a sua amada. Então, ele a toma em seus braços e sai do salão carregando-a em alto estilo. E a festa continua noite adentro.

Torre de carolinas na França

Os casamentos franceses servem a famosa Croquembouche, uma torre cônica enorme de carolinas recheadas, decorada com frutas, fitas coloridas, coberturas de caramelo e chocolate e vários tipos de nozes açucaradas. Além de ser a principal peça decorativa da mesa, na França ela substitui o bolo, e criatividade não falta para montar verdadeiras obras de arte.

Dois buquês no México

Um dos países católicos mais fervorosos (e festivos) do planeta, o México exalta sua santa, Nossa Senhora de Guadalupe. A noiva carrega dois buquês, um para ela e o outro oferece para a Virgem Maria, na esperança que Ela abençoará o casamento. Ao final da cerimônia e antes da saída da igreja, a noiva deixa as flores no altar da santa, onde faz uma oração de agradecimento.

Bolo com fitas, uma tradição Argentina

Pela tradição, a festa de casamento tem dois grandes momentos: a hora de a noiva jogar o buquê e a hora de cortar o bolo. Mas na Argentina o momento se resume a um só: a cerimônia do bolo com fitas. Os costumes argentinos substituem o ato de jogar o buquê pela cerimônia do bolo com fita, ambos com o mesmo intuito. O bolo de casamento recebe, em uma das camadas, fitas brancas ou coloridas que levam em sua ponta pingentes, brincos, anéis ou pulseiras. As fitas são colocadas dentro do bolo e apenas uma delas tem uma aliança. No momento em que o casal corta o bolo, as moças solteiras devem puxar as fitas ao mesmo tempo. Assim, quem achar a aliança será a próxima a se casar.

Por Adriana Lage,  do site  A Camminare

Em parceria com A Camminare

A Camminare é o espaço onde a jornalista e globetrotter Adriana Lage inspira o viajante a desbravar os melhores destinos da Terra. Hotéis, atrações, gastronomia, cultura, experiências e muito mais.

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário A Camminare

A Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.