Como as crises econômicas afetam a saúde mental e quais os caminhos para buscar ajudar

No mês de agosto o Brasil atingiu o maior patamar de desemprego desde o início da pandemia do novo coronavírus. Em quatro meses, o crescimento foi de 27,6%, o que indica que 12,9 milhões de pessoas estavam sem trabalho no país. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid-19 (Pnad Covid-19) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Como a instabilidade econômica afeta a saúde mental população? O desemprego, a dificuldade financeira e a queda no poder de compra podem gerar quadros de depressão ou até mesmo de suicídio?

No vídeo,  a psicóloga e professora do curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Tânia Cristina Silva Barbieri, explica como as crises econômicas podem desencadear transtornos mentais e quais os caminhos disponíveis para buscar ajuda, como as terapias de baixo de custo.

Veja +: