Crise política na Venezuela vive nova onda de conflitos

A crise política na Venezuela vive mais um capítulo de grande tensão nesta terça-feira, dia 30. Uma série de conflitos em Caracas, capital da Venezuela, teve início após o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó realizar a soltura do líder opositor Leopoldo López, que estava em prisão domiciliar.

Em mensagem de vídeo divulgada por meio de seu Twitter, Guaidó, rodeado por membros das Forças Armadas, disse que “o momento é agora” e convocou a população às ruas para tirar Nicolás Maduro do poder.

Momentos depois, as ruas de Caracas começaram a se encher de manifestantes, que foram duramente reprimidos pelas forças de Maduro. Tanto Guaidó quanto Maduro dizem ter o apoio dos militares.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse em seu perfil no Twitter que está monitorando de perto a situação na Venezuela. “Os EUA estão com o povo da Venezuela e sua liberdade”, escreveu.

Também pelo Twitter, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro reafirmou o apoio do país ao líder opositor Juan Guaidó. Bolsonaro disse que o Brasil “está ao lado do povo da Venezuela, do presidente Juan Guaidó e da liberdade dos venezuelanos”.