Em discurso na ONU, Bolsonaro culpa índios e caboclos por queimadas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi o primeiro a discursar neste terça-feira, 22, na 75ª Assembleia Geral da ONU (Organizações das Nações Unidas).

Durante a fala, ele destacou as medidas adotadas pelo Brasil no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, com a criação do auxílio emergencial e culpou a imprensa por politizar o vírus e propagar pânico para a população.

Na questão ambiental, Bolsonaro afirmou que o país é vítima de uma campanha de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal. Pontuou que a floresta brasileira é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior e culpou índios e caboclos pelos incêndios nos biomas, dizendo que eles queimam seus roçados em busca de sobrevivência em áreas desmatadas.

O presidente também afirmou que o governo age no combate aos crimes ambientais.

Confira no vídeo o discurso completo.