Saiu versão de ‘Dom Quixote’ com ilustrações de Salvador Dalí

A gente já falou por aqui sobre os desenhos de Cavalcanti para nosso clássico brasileiro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, além de um viés mais contemporâneo com Mutarelli ilustrando “A metamorfose” de Kafka. Mas, não foram só esses pintores que saíram de seus quadros para entrar no vasto mundo da literatura.

O surrealista Salvador Dalí, que tem ele mesmo um livro de receitas bizarras amplamente ilustrado (e assustador), já tinha um grande trabalho no mundo dos livros, a começar pelas histórias de “Dom Quixote”, de Miguel de Cervantes.

Inclusive, são várias as edições do cavaleiro dos moinhos de vento que contam com os desenhos do pintor, isso porque Dalí se propôs a pintar a mesma obra em momentos diferentes, além de ter dado total liberdade aos editores para as publicações.

Além da obra do escritor espanhol, ele também criou 12 heliogravuras para o clássico “Alice no país das maravilhas”, do escritor inglês Lewis Carrol. Numa edição de 1969, por exemplo, podemos acompanhar uma ilustração por capítulo e desenhos já conhecidos, como o relógio derretido e a menina pulando corda, usado como se fosse ela mesma a Alice.

Vindo mais para as terras brasileiras, nossa super conhecida Tarsila do Amaral (em exposição no museu do Masp até o final de julho, aliás), teve sua criação totalmente conectada com o mundo literário. A começar pelo próprio Abaporu, criado com a função de manifesto modernista, com seu até então marido, o escritor Oswald de Andrade. Nessa pegada familiar, muitos livros de Virginia Woolf foram ilustrados por sua irmã Vanessa Bell, pintora pouco conhecida, mas de suma importância pro mundo das artes.

De um jeito ou de outro, todo mundo conectado e nos levando pra mundos diferentes dos nossos.

PARCERIA: CANAL “VÁ LER UM LIVRO”