Listão cultural: 5 eventos para valorizar a democracia no Rio

Mais amor, por favor!
Até
31
de maio 2019
Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
Diversos horários

site: Cidade

Por: Redação | Comunicar erro

Diferentes espaços culturais promovem reflexão sobre assuntos relacionados à política

Em ano de eleições, nunca se falou tanto em política, democracia e ditadura. Nos museus e outros espaços culturais do Rio não poderia ser diferente: exposições, mostra de filmes e peças — em cartaz ou prestes a estrear — abordam temas como regimes autoritários, suas marcas e a sua relação com o cenário atual do Brasil.

Tudo bem baratinho e com o objetivo de fazer pensar sobre o passado e a atual situação do país e do mundo. É a arte imitando a vida…

Confira a listinha da Catraca Livre com rolés engajados e viva a democracia!

  • 1. Exposição 'Quem Não Luta Tá Morto'

    Crédito: DivulgaçãoLegenda: Mais de 60 obras abordam temas como habitação, violência urbana e contra a mulher, racismo e gênero na mostra ‘Quem Não Luta Tá Morto’

    Com curadoria de Moacir do Anjos, a exposição “Quem Não Luta Tá Morto – Arte Democracia Utopia” apresenta mais de 60 obras de diversos suportes, que abordam temas atuais, como habitação, violência urbana e contra a mulher, racismo e questões de gênero.

    A mostra traz exemplos do pensamento utópico que marca a arte brasileira recente, mas também obras de momentos passados. São trabalhos de artistas modernos e contemporâneos, como Cildo Meireles, Anna Maria Maiolino, Claudia Andujar, Jaime Laureano e Ayrson Heráclito.

    Quando? Terça a domingo, das 10h às 17h | Até 31 de maio de 2019
    Onde? MAR | Praça Mauá, 5, Centro
    Quanto? R$ 20 e R$ 10 (meia). Grátis às terças

  • 2. Exposição 'Três Gravuristas e o Exílio no Brasil'

    Crédito: DivulgaçãoLegenda: Exposição apresenta obras de artistas que vieram para o Brasil fugindo do nazismo

    A mostra “Três Gravuristas e o Exílio no Brasil: Fayga Ostrower, Axl Leskoschek, Lasar Segall” apresenta 32 obras dos três mestres da gravura, que chegaram no país no século 20, fugindo do nazismo.

    É uma reflexão sobre a história — que não deve ser esquecida e repetida —, o sofrimento do exílio, mas também o acolhimento e a riqueza que reside no olhar de uma outra cultura.

    Quando? Terça a sexta, das 10h às 18h | Sábado, domingo e feriado, das 13h às 18h | Até 3 de fevereiro de 2019
    Onde? MNBA (Museu Nacional de Belas Artes) | Avenida Rio Branco, 199 – Centro
    Quanto? R$ 8 e R$ 4

  • 3. Exposição 'Correio da Manhã'

    Crédito: Osmar GalloLegenda: Mostra 'Correio da Manhã' exibe registros da época da Ditadura Militar no Brasil

    A exposição inédita “Correio da Manhã: Uma Revolução de Imagens nos Anos 1960” apresenta  88 fotografias publicadas no extinto jornal carioca “Correio da Manhã”, um dos mais relevantes veículos da grande imprensa brasileira do século XX.

    São registros dos principais acontecimentos da vida pública do país numa década que mudou o mundo. A política estava em pauta e é um dos cinco temas da mostra: foram eternizados os protestos de estudantes, as passeatas e manifestações de artistas contra a censura; o fechamento do Congresso em 1966; a visita do presidente De Gaulle ao Brasil; o fim da empresa de aviação Panair; e registros dos presidentes militares.

    Quando? Terça a domingo, das 10h às 21h | Até 23 de dezembro
    Onde? Caixa Cultural | Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
    Quanto? Grátis

  • 4. Peça 'Meus Duzentos Filhos'

    Crédito: Brunno Dantas/DivulgaçãoLegenda: Peça 'Meus Duzentos Filhos' reflete sobre os horrores da guerra e do nazismo

    Peça estrelada por Marcelo Aquino, “Meus Duzentos Filhos” retrata a vida de Janusz Korczak (1879-1942), médico e pedagogo judeu polonês que fundou o orfanato modelo Dom Sierot, onde desenvolveu “A Pedagogia do Amor”, até ter a sua trajetória interrompida pelos horrores da guerra e do nazismo, assim como as dos cerca de 200 órfãos.

    Quando? Quinta, às 20h30 | Até 13 de dezembro
    Onde? Rua General Venâncio Flores 184 – Leblon
    Quanto? R$ 40 e R$ 20

  • 5. Peça 'A Última Aventura é a Morte'

    Crédito: Simone Rodrigues/DivulgaçãoLegenda: 'A Última Aventura é a Morte' aborda temas como terrorismo e neonazismo

    Inspirada no poema “Nota 409“, alemão Heiner Müller, “A Última Aventura é a Morte” une atores, bonecos e videografismo numa instalação cênica em 360 graus, que circunda o espectador. Terrorismo internacional, fluxo de refugiados e discursos extremistas na sociedade contemporânea dão a tônica da história. Entre os acontecimentos lembrados na montagem estão os atentados terroristas nos EUA em 2001 e o crescimento do neonazismo no mundo.

    Quando? Quarta a domingo, às 19h30 | Até 16 de dezembro
    Onde? CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil) | Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
    Quanto? R$ 10 (meia)

Compartilhe:

Autor: Por: Redação