Conheça Perdizes: bairro tem arte, gastronomia e natureza

Região tem diversas opções de bares, restaurantes, parques, museus e teatros

Por: Agência Fática Comunicar erro
Até
02
de dezembro 2018
Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
diversos horários

Se você quer conhecer um bairro que une arte e natureza, Perdizes, na zona oeste de São Paulo, pode ser uma boa pedida. Localizado nas proximidades das estações Sumaré e Vila Madalena, da Linha Verde do Metrô, a região oferece opções de teatros para todos os bolsos, parques, lugares para dançar e curtir um som e opções de bares e restaurantes.

Crédito: Murillo CostantinoParque Água Branca está entre Perdizes e a Barra Funda

Famoso por suas enormes ladeiras, Perdizes é uma opção excelente para quem ama esportes. Além de cada caminhada ser uma prova de resistência, o bairro fica perto do Parque da Água Branca, do Parque Zilda Natel e do Parque Sabesp Sumaré. Além disso, logo na ponte da Sumaré, tem rapel à vontade para quem gosta de esportes radicais.

A Catraca Livre separou uma série de dicas diferentonas para você aproveitar o que a região tem de melhor.

Vamos lá?

  • 1. Continuação de um clássico no Tucarena

    Crédito: MiroLegenda: "Casa de Bonecas - Parte 2" é uma continuação para a clássica história de Ibsen

    Peça “Casa de Bonecas – Parte 2”
    De 14 de setembro a 2 de dezembro
    Sextas, às 21h; aos sábados, às 20h; e aos domingos, às 18h
    Tucarena – Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes
    Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$40 (meia entrada). Vendas pelo site Ingresso
    Classificação: 14 anos
    Duração: 100 minutos

    Inédito no Brasil, “Casa de Bonecas – Parte 2”, de Lucas Hnath, foi um grande sucesso na Broadway, sendo indicado ao Prêmio Tony 2017 de Melhor Texto. Na história, Nora, a emblemática personagem criada por Ibsen no século 19, volta à casa dos Helmer – 15 anos depois de ter abandonado o marido e seus filhos – em busca do divórcio. Em meio ao julgamento da criada, do marido e de sua filha mais nova revela seus ideais revolucionários sobre o amor livre e contra o casamento.

    No elenco estão Marília Gabriela, Luciano Chirolli, Eliana Guttman e Clarissa Kiste. A direção é de Regina Galdino, que tem em seu currículo peças como “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, adaptação de Machado de Assis, o musical infantil “Operilda na Orquestra Amazônica” e o infanto-juvenil “O Jovem Príncipe e a Verdade”.

  • 2. Humor de improviso às quintas-feiras

    Crédito: DivulgaçãoLegenda: Espetáculo "Improvável" fica em cartaz no Tuca até 29 de novembro

    Espetáculo “Improvável”
    Até 29 de novembro
    Sempre às quintas, às 21h
    Tuca – Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes
    Ingressos: de R$ 60 a R$ 70 (meia entrada para estudantes, maiores de 60 anos, professores da Rede Pública Estadual e Classe Artística com DRT) | R$ 20 para alunos e professores da PUC-SP

    A Cia. Barbixas de Humor apresenta o espetáculo “Improvável” todas as quintas no Tuca. A ideia é que um mestre de cerimônia apresenta as regras dos jogos, a plateia sugere os temas e os atores improvisam as cenas na hora, sem nenhuma preparação prévia. Cada apresentação é única e algumas são gravadas e disponibilizadas no YouTube.

    O espetáculo é inspirado no programa televisão britânico ‘Whose Line is It Anyway?’ e também nas peças brasileiras ‘Zenas Emprovisadas’ e ‘Jogando no Quintal’ e tem como uma das regras sempre ter dois convidados especiais para completar o elenco.

  • 3. Arte, música e teatro no Centro da Terra

    Crédito: DivulgaçãoLegenda: O Centro da Terra é um espaço para arte, shows e espetáculos teatrais em Perdizes

    Centro da Terra: espaço cultural independente em Perdizes
    De segunda e terça, das 9h às 21h, de quarta a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 18h às 21h
    Centro da Terra –  Rua Piracuama, 19 – Sumaré

    O Centro da Terra é um espaço cultural independente mantido por Keren e Ricardo Karman. A programação tem como foco produções, apresentações e ações de formação em Música, Artes Cênicas e Visuais que priorizem a linguagem contemporânea e que dialoguem com a pesquisa da Kompanhia do Centro da Terra.

    Além das exposições e espetáculos, o local abriga a escola de Arte Grão do Centro da Terra, que desenvolve um curso livre em que crianças e adolescentes participam de experiências nas diversas linguagens artísticas e que tem como fundamento a liberdade de criação, a ludicidade e a participação coletiva em percursos singulares.

    Até o dia 22 de setembro, está em cartaz no espaço uma exposição da artista plástica Mônica Nador . Algumas obras foram produzidas em parceria com  a JAMAC, oficina cultural do Jardim Miriam.

    Acompanhe a programação completa no site.

  • 4. Teatro e música para todas as idades no Viradalata

    Crédito: Natalia Angelieri - DivulgaçãoLegenda: Viradalata recebe diversos espetáculos e shows em Perdizes

    Viradalata: espaço capital
    Rua Apinajés, 1387 –  Perdizes
    Ingressos: de R$ 30 a R$ 50, com direito a meia entrada

    Tem mais lugares para espetáculos teatrais e shows no bairro de Perdizes. O Viradalata Espaço Capital recebe eventos para os mais diversos públicos. Há principalmente peças infantis e adultas, além de shows. O local também  é a sede da Cia Viradalata, que tem em seu repertório os espetáculos “Medinho Medão”, “Coquetel de Fadas”, “Mamy” e “Killocaloria”.

    Acompanhe a programação completa no site.

  • 5. Serenatas na Casa dos Trovadores Urbanos

    Crédito: Fernando MucciLegenda: Trovadores Urbanos tmantém um espaço para shows e cursos em Perdizes

    Serenatas com os Trovadores Urbanos
    Rua Aimberê, 651 – Perdizes

    Quem quiser voltar no tempo e escutar uma serenata não pode perder a programação da Casa dos Trovadores Urbanos. O grupo existe desde 1990 e já gravou oito CDs e dois DVDs, além de cantar trilhas sonoras para programas e novelas. O sucesso das serenatas foi tanto que o quarteto original precisou de reforço. Hoje, uma equipe de mais de 50 músicos autônomos se revezam nas cantorias, saraus e homenagens pela cidade.

    Atualmente, os Trovadores ministram cursos de música e teatro para crianças e adultos no espaço em Perdizes.

    Acompanhe a programação completa no site.

    Trovadores Urbanos ao vivo no Auditório Ibirapuera- Bloco Canta

    Trovadores Urbanos ao vivo no Auditório Ibirapuera, gravado em 2015 – Bloco Canta#TrovadoresUrbanos #TrovadoresUrbanos28anos #Canta #BlocoCanta #Tbt #MemoriasAfetivas #Baudostrovadores #SouAfeto

    Posted by Trovadores Urbanos on Thursday, July 5, 2018

  • 6. Arte popular na Galeria Brasiliana

    Crédito: Divulgação - Galeria BrasilianaLegenda: Obra "O Coelho", de Ranchinho, está em exposição na Galeria Brasiiana

    Espaço para arte popular em Perdizes
    De segunda a sexta, das 13h30 às 18h30, aos sábados, das 11h às 16h – Agendar a visita pelos telefones: (11) 99411-3315 (Rugiero)  ou (11) 99411 5192 (Fedra)
    Galeria Brasiliana – Rua Cardoso de Almeida 1297 – Perdizes
    Entrada: gratuita

    A Galeria Brasiliana existe desde 1981 e reúne um acervo com mais de 50 importantes artistas, muitos deles exclusivos, além de mestres e talentos emergentes da pintura, escultura, desenho, xilogravura e artesanato artístico, todos de caráter popular – e também peças em madeira de procedência indígena. Tudo começou como consequência de uma jornada pessoal do pesquisador e marchand Roberto Rugiero pelo mercado da arte a partir da década de 1970.

    O espaço também realiza parcerias com outras instituições. Até o dia 21 de setembro, a Ricardo Camargo Galeria de Arte recebe a exposição “A Ora e a Vez de Riachinho”, com acervo da Brasiliana.

  • 7. Multiculturalismo afro em Perdizes

    Crédito: DivulgaçãoLegenda: Associação Cultural Cachuera! fica em Perdizes

    Associação Cultural Cachuera
    Rua Monte Alegre, 1094 – Perdizes

    O objetivo da Associação Cachuera é contribuir para a valorização da cultura popular brasileira e de suas comunidades produtoras, em especial no universo das culturas africanas.

    Além de oferecer cursos de dança e música, o espaço é palco de apresentações de música popular tradicional, urbana e erudita. Em seu acervo estão registros de música, dança, teatro, narrativas, entrevistas e depoimentos com foco nos ritos religiosos e festas populares. A programação completa pode ser acompanhada no Facebook da instituição.

  • 8. Exercícios na Avenida e no Viaduto Sumaré

    Legenda: O pessoal da Rapel SP é responsável pela atividade no Viaduto da Sumaré

    Rapel, ciclovia e caminhada na Avenida e no Viaduto Sumaré

    Um dos lugares mais procurados para fazer rapel em São Paulo é o Viaduto Sumaré. Organizada pelo RapelSP, a aventura custa entre R$ 38 e R$ 59 e pode ser feito acompanhado ou monitorado. Para participar, basta consultar a programação no site.  Há opções diurnas e noturnas.

    Mas, se você prefere uma atividade menos radical, a Avenida Sumaré oferece um canteiro central com uma ciclovia e ótimo para caminhadas. Há também alguns aparelhos de ginástica.

  • 9. Entrando em contato com a natureza

    Crédito: Dennis FidalgoLegenda: Parque da Água Branca se divide entre a Barra Funda e Perdizes

    Três parques e muita natureza
    Parque da Água Branca
    Rua Ministro Godói, 180 – Perdizes ou Avenida Francisco Matarazzo, 455 – Água Branca
    Parque Zilda Natel – Avenida Doutor Arnaldo, 1250 – Sumaré
    Parque Sabesp Sumaré –  Avenida Professor Alfonso Bovero – Vila Pompeia

    Em Perdizes e arredores também tem opções para entrar em contato com a natureza. A região engloba três parques bem diferentes.

    O maior deles, Parque da Água Branca, fica parte na região e parte na área da Barra Funda. Em funcionamento de segunda a domingo, das 6h às 20h, o local oferece espaço e clube de leitura, baile da terceira idade, feira orgânica, museu geográfico, eventos temáticos, como festas juninas, e muito mais.

    Bem perto da estação Sumaré, da Linha Verde do metrô, fica o Parque Zilda Natel. Em funcionamento das 9h às 21h, de segunda a domingo, o parque tem pistas de skate street, com obstáculos que simulam as condições encontradas nas ruas, como rampas e corrimãos; banks, com 75 m² no estilo bowl (bacia) e um half pipe de 100m². Além disso, tem quadra de basquete de rua, vestiário, mesas para jogos de tabuleiro e academia para a terceira idade, com aparelhos para ginástica laboral e de baixo impacto (alongador, simulador de caminhada, simulador de cavalgada, de esqui, de remada sentada, de surfe, rotação dupla diagonal, rotação vertical, pressão de pernas e multiexercitador).

    Nos arredores de Perdizes também tem o Parque Sabesp Sumaré. Em funcionamento de segunda a domingo, das 7h às 19h, o local é bastante arborizado e é ótimo para caminhadas. Há playgrounds para as crianças, aparelhos para ginástica, sanitários, praça de estar, pergolado, bancos, edificações antigas da Sabesp e áreas gramadas. Não é permitido a entrada com bicicletas e pets.

  • 10. De volta aos anos 1950/60

    Crédito: Pedro RibeiroLegenda: Zé do Hamburger é uma viagem aos anos 1950. Na foto, o lanche que ganha o nome da casa

    The Clock Rock Bar e Zé do Hamburger  são uma viagem aos EUA das décadas de 1950 e 1960
    The Clock Rock Bar
    Rua Turiassú, 806 – Perdizes
    Zé do HamburgerRua Itapicuru, 419 – Perdizes

    Se você quer aprender a dançar rockabilly, jive, lindy hop e charleston e ainda comer em lanchonetes que lembram os anos 1950/60 nos Estados Unidos, o The Clock Rock Bar e o Zé do Hamburger são os lugares perfeitos.

    A balada temática The Clock funciona de sexta e sábado, das 21h às 4h, e aos domingos, das 17h às 22h e oferece rock’n’roll e aulas de dança para quem quiser se aventurar – além de hamburgueres suculentos, petiscos, milkshakes, drinks e coquetéis. A decoração lembra uma lanchonete norte-americana dos anos 1950.

    A hamburgueria Zé do Hamburger tem três andares e também é toda decorada com elementos que remetem aos anos 1950, como gravuras de pin ups, uma Vespa, fotos de Marilyn Monroe, Elvis Presley e outros famosos. É possível comer dentro de um conversível da época.