Últimas notícias:

Loading...

Boatos: Geddel Vieira Lima não gravou vídeo contra Lula e Dilma

Vídeo compartilhado no WhatsApp mostra ex-ministro Geddel Viera Lima denunciando propriedades irregulares de Lula e Dilma; mas tudo não passava de mais uma fake news

Por: Redação

Na luta contra a disseminação de falsas notícias nas redes sociais, o Catraca Livre dá continuidade à parceria com o site Boatos.org, na missão de ajudar você, nosso leitor, a não ser ludibriado por suposições e falsos rumores que povoam a internet.

A exemplo do vídeo compartilhado no WhatsApp nos últimos dias, falsamente atribuído ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB).

Na ocasião, o político baiano, em um suposto tratamento contra um câncer, faz acusações contra os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, orientando a Polícia Federal a buscar fazendas de Lula e Dilma no Pará, Acre, Rio Grande do Sul e até na Argentina. “Acho que uns 2% do território do Pará tá [sic.] nome do Lula, daquele Dantas, que era dono da Brasil Telecom, e do Lulinha. Larga mão desse sítio aí, esse sítio é uma titicazinha, e o tríplex é um apartamento lá em Guarujá, coisa pouca”, relata o peemebista.

Aos fatos: 

1. O vídeo

Pra começar, Geddel Vieira Lima jamais gravou vídeo algum acusando Lula e Dilma. Sobretudo porque não é ele quem aparece nas gravações.

Detido desde setembro do ano passado, após o conhecido episódio das malas com 51 milhões encontradas pela Polícia Federal em um apartamento de Salvador, o ex-ministro encontra-se detido no presídio da Papuda, em Brasília, desde setembro passado.

Vídeo gravado pelo tenente da polícia militar, morto desde março do ano passado após luta contra o câncer

2. A doença

Além disso, caso Geddel estivesse com câncer, e compartilhado um vídeo durante tratamento da doença,  os veículos da mídia brasileira teriam em algum momento abordado o fato. A última vez que seu nome estampou as capas dos jornais foi há cinco meses, na época do escândalo das malas.

3. O verdadeiro autor 

Além disso, vale frisar: o acusador em questão chama-se Celso Moessa de Lima, tenente aposentado da Polícia Miliar do Mato Grosso, que morreu em março de 2017, após luta contra o câncer. Os vídeos foram publicados um ano antes de sua morte, em março de 2016.

Em outra gravação publicada em seu vídeo no YouTube, o policial militar aposentado se apresenta: “Oi, meu nome é Celso Moessa, moro em Goiânia, sou paranaense, filho de paulista”.

Propriedades de Lula e Dilma 

Apesar dos três processos que correm contra o ex-presidente na Operação Lava Jato – o tríplex, imóvel em São Bernardo do Campo (SP) e o sítio de Atibaia – nada, além das informações de Celso Moessa, confirma a veracidade das supostas fazendas de Lula no Acre, Pará e na Argentina, e a fazenda de Dilma no Rio Grande do Sul.

Abaixo o fake news: seja da esquerda ou da direita 

Assim sendo, em tempos de boatos e invencionices, tanto de setores da esquerda como da direita, o importante é checar os fatos. Por isso acompanhe nossa campanha contra a propagação de fake news em parceria com o Boatos.org.

Compartilhe: