Bolsonaro cria ministério para genro de Sílvio Santos e web vê hipocrisia

O presidente se elegeu afirmando ser contra o 'toma lá da cá' e em menos de 2 anos de governo adere a prática

Por: Redação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou, na noite desta quarta-feira (10), que vai recriar o Ministério das Comunicações e nomear o genro de Silvio Santos, deputado federal Fabio Faria (PSD-RN) para comandar a pasta.

Crédito: ReproduçãoBolsonaro cria Ministério para genro de Sílvio Santos e web vê hipocrisia

Fabio Faria é casado com a apresentadora Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, dono da emissora SBT.

Bolsonaro divulgou sua decisão pelas redes sociais, como de costume. “Nesta data, via MP, fica recriado o Ministério das Comunicações a partir do desmembramento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Para a pasta foi nomeado como titular o Deputado Fabio Faria/RN”, publicou Bolsonaro no Facebook.

Vale destacar que em 23 de maio, Silvio Santos não deixou ir ao ar a edição do principal telejornal do canal, o SBT Brasil. O motivo seria  impedir que o vídeo da reunião ministerial divulgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) fosse transmitido mais uma vez dentro do SBT, já na edição da sexta-feira, 22, o fato não teria agradado o presidente Bolsonaro.

O genro de Silvio Santos foi eleito pelo PSD, mas já foi filiado no PMN. Bolsonaro é acusado de viabilizar o ‘toma lá da cá’ entre deputados e o governo com a recriação do Ministério. ‘Toma lá da cá’ é a prática conhecida como troca de cargos do poder executivo e em estatais por apoio nas votações de projetos do governo.

Bolsonaro foi eleito criticando veementemente a conduta do ‘Centrão’, dizendo que reduziria o número de Ministérios, alegando que muitos deles existiam apenas para viabilizar o ‘toma lá da cá’ entre governo e Congresso Nacional.

Na web, a decisão de Bolsonaro de recriar o Ministério das Comunicações para entregá-lo ao ‘Centrão’ foi vista como hipócrita, já que acontece no momento em que ele perde apoio político e popular pela desastrosa condução do país em meio à pandemia, com diversos pedidos de impeachment contra ele na mesa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Confira a repercussão na web: